Home > Economia > 41% dos consumidores compram pelo smartphone

41% dos consumidores compram pelo smartphone

Após 2 anos de crise, a economia brasileira dá sinais de que está se recuperando. Uma prova disso é que, segundo dados da pesquisa realizada pela PwC Brasil, 71% dos entrevistados esperam aumentar ou manter as despesas com compras nos próximos 12 meses. Além do mais, o consumo deve ser realizado via dispositivos móveis: 41% dos consumidores já realizaram compras pelo smartphones e 30% por tablets, totalizando 71%. Esses números demonstram um crescimento significativo, pois há 5 anos o percentual era de 15% e 20%, respectivamente.

Além disso, o estudo também mostrou que houve crescimento no consumo online em diferentes categorias de produtos de 2014 a 2018. Por exemplo, as vendas de equipamentos eletrônicos cresceram de 12% para 27% do total comercializado e o consumo de livros, músicas, filmes e videogames aumentou 16 pontos percentuais, saindo de 18% para 34%.

Ricardo Neves, sócio da PWC, explica que as pessoas estão cada vez mais usando esses dispositivos móveis para manter os seus hábitos de consumo. “Notamos que as pessoas estão diminuindo a frequência que vão às lojas físicas e preferem comprar por meio do celular, computador, tablet ou qualquer outro dispositivo móvel”.

Esse é o caso da fotógrafa Laura Faria. Ela relata que aproximadamente 75% do que consome é comprado via smartphone. “Opto por adquirir produtos pelo celular devido a comodidade e rapidez, pois nem sempre estou com o meu computador. Aliás, não faço compras em máquinas de terceiros pensando justamente na segurança dos meus dados. Já no celular, sempre passo antivírus e estou atenta as movimentações”.

Laura conta também que há produtos que prefere comprar pela internet e outros que não. “Minhas compras são variadas. Compro cursos, equipamentos eletrônicos, material de escritório e livros. Entretanto, evito adquirir roupas, porque nunca tenho sorte em relação ao tamanho”.

Mudança nas empresas
Para além de apenas consumir produtos, os brasileiros também estão atentos a experiência, tanto que, de acordo com o estudo da PWC, as pessoas estão igualmente divididas entre os objetos e a experimentação (50%), embora as prioridades na hora dos gastos mostrem uma tendência a um way of life direcionado às vivências pessoais. As prioridades são gasto individual (37%), tempo com amigos e familiares (35%) e mudanças para aproveitar mais a vida (35%). As experiências preferidas são viagens (56%), restaurantes (50%), melhorias pessoais/educacionais (37%) e entretenimento (32%). Ademais, 37% aceitariam pagar um custo extra para receber suas compras no mesmo dia.

Neves reitera que isso gerou um grande impacto nas empresa, pois elas tiveram que aprender a trabalhar várias formas e canais de vender seus produtos. “Antigamente tinha-se apenas a loja principal e um canal de vendas online, que não era prioridade. Agora, é necessário pensar nesse processo em cadeia e, a cada dia mais, os varejistas estão investindo na internet, porque notaram que ali é um espaço propício para aumentar significativamente os lucros”.
Ademais, há uma preocupação por parte dos varejistas na oferta e experiências customizada. “O varejo brasileiro tem muito potencial para crescimento e empresas estão apostando em tecnologias disruptivas, como inteligência artificial”.

Uma das empresas que estão apostando nisso é o Petlove. Conhecido por ser uma das maiores empresas nacionais de produtos voltados para animais de estimação, o site oferece a possibilidade da “assinatura Petlove”, no qual o consumidor lista os produtos que quer receber, a frequência e ganha 10% de desconto nos itens. “A ideia de criar um serviço de assinatura nasceu para conseguirmos oferecer mais praticidade e um preço mais competitivo para nossos clientes. A grande vantagem é que possibilita os clientes programarem suas comprar. Além disso, o serviço é gratuito do início ao fim e completamente customizável, então é possível fazer quantas alterações quiser, como mudar data de entrega, adicionar ou remover produtos da assinatura, alterar a periodicidade das entregas, etc”, finaliza Virgilio Russo, gerente de marketing da Petlove.

Atenção! Apesar de estar mais seguro comprar pela internet, as pessoas não podem se descuidar dos itens básicos. Veja algumas dicas:
1- Verifique se a loja possui conexão segura;
2- Procure informações sobre a experiência de compras de consumidores que já adquiriram produtos nesta loja;
3- Verifique os dados;
4- Ligue para o número do SAC;
5- Confirme os dados fornecidos;
6- Leia a Política de Privacidade da empresa;
7- Prefira empresas que aceitem plataformas de pagamento garantido via internet;
8- Salve todos os passos da compra;
9- Não faça compras em computadores de terceiros.
Fonte: Ebit