Home > Cidades > Carnaval 2020: saiba as regras e como cadastrar seu bloco de rua

Carnaval 2020: saiba as regras e como cadastrar seu bloco de rua

crédito - Divulgação

Ainda faltam 4 meses para a folia de Momo, mas os preparativos para a grande festa já começaram na capital mineira. A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) abriu o cadastro para os blocos de rua que desejam participar do Carnaval 2020. As inscrições podem ser feitas até 21 de outubro e tem o objetivo de garantir um melhor planejamento para os desfiles, como as demandas de banheiros químicos, desvios no trânsito, limpeza e segurança. O Edital de Auxílio Financeiro também está aberto e a documentação deve ser entregue até 15 de outubro para conseguir a verba. Esse ano, cerca de 500 blocos participaram da festa oficial.

De acordo como o presidente da Belotur, Gilberto Castro, o cadastro é uma das principais ferramentas para o planejamento da operação do Carnaval. “É com esse cadastramento que todos os órgãos envolvidos planejam suas ações para o melhor funcionamento da cidade durante o evento. Essas informações são fundamentais para que possamos garantir um Carnaval mais organizado, seguro, limpo, com mobilidade e conforto para toda a cidade”, explica.

Em Belo Horizonte, o período do Carnaval em 2020 começa no dia 8 de fevereiro e segue até 1º de março. Uma das novidades para o próximo ano é o limite de 6h para duração do bloco, já levando em consideração o tempo de concentração, desfile e dispersão. A prefeitura vai bloquear alguns tipos de vias, como áreas com risco de alagamento, destinadas à programação oficial da PBH, hospitalares e seus acessos, rota protocolar de ambulância, áreas de segurança militar, interior de túneis, pontes, passarelas, viadutos e rota dos Foliônibus.

Segundo o Executivo, os organizadores podem indicar até dois trajetos por bloco de rua. Os interessados devem acessar o site até o dia 21 de outubro para realizar o cadastro e inserir todas as informações referentes ao desfile, tais como data, horário, local de concentração, trajeto e dispersão. Para quem ainda estiver com dúvidas no processo, na mesma página é possível encontrar um tutorial detalhado de como se inscrever.

O cadastro na prefeitura não é obrigatório, mas os blocos que optarem por não fazer não contarão com a infraestrutura disponibilizada pela Belotur. Neste caso, terão que solicitar as licenças para todos os serviços que devem ser oferecidos aos foliões. A inscrição também garante a participação no Edital de Auxílio Financeiro.

Até R$ 12 mil

Quem pretende colocar o bloco na rua, também poderá concorrer a uma verba pelo edital. A documentação deve ser entregue até 15 de outubro, das 9h às 12h ou das 14h às 17h, presencialmente, na Gerência de Licitações e Contratos da Belotur (Rua da Bahia, 888, 6º andar). Para isso, o bloco deve, obrigatoriamente, estar inscrito no Cadastro de Blocos de Rua da prefeitura. Os valores concedidos variam entre R$ 3,5 a R$ 12 mil.

O edital prevê que o dinheiro seja utilizado para a contratação de músicos, produtores, técnicos de som, motoristas, carro de apoio e bateria, rádio de comunicação portátil, brigadistas, UTI móvel, entre outros itens de segurança. Todas as regras podem ser consultadas no site da prefeitura.

Em 2020, o Executivo vai desembolsar um total de R$ 850 mil distribuídos entre 102 blocos carnavalescos, separados em quatro categorias. O resultado do edital será publicado no Diário Oficial do Município. “Blocos que trabalharem com a descentralização dos desfiles, com o desenvolvimento de ações de cidadania, sustentabilidade e respeito às diversidades, com a manutenção da cultura carnavalesca e com o diálogo com a comunidade, por exemplo, serão mais bem pontuados”.

Daniel Amaro
Formado em jornalismo, Daniel tem 25 anos e possui experiência em assessoria de comunicação voltado para produção de conteúdo para web. Ama escrever sobre política, cultura, economia e saúde. É apaixonado por jornalismo investigativo e estudar inglês. É perseverante e adora desafios. Seu hobby preferido é viajar.