Home > Colunas > Gestão Municipal III – Planejamento Estratégico da Prefeitura – Comportamento Humano – (Parte 3)

Gestão Municipal III – Planejamento Estratégico da Prefeitura – Comportamento Humano – (Parte 3)

 

1 – Sinopse – A todo momento, há um dirigente público, exonerando um de seus homens de “confiança”, de seu respectivo cargo! Nessas horas, aflora-se um cenário “trágico grego” de sofrimento para alguns e maravilhoso de alegria pra outros! “Tumultos sem fins”, conversas verticais, dissabores horizontais, “fofocas”, mágoas e ódios prevalecem em abundância! Naturalmente, tudo isso retrata o cenário competitivo em que vivemos É como se o “diabo saísse do fundo do inferno e assumisse o ambiente”, principalmente, quando há um efeito “cascata” de outras exonerações, sem que as “vítimas” saibam, o motivo! Algumas vezes, próximo dessas situações, lembrando o saudoso dramaturgo e humorista Millôr Fernandes, constatei com discrição que tudo isso constitui-se na “maravilha da política”, que possui o fel como base! Sem esses fatos, não existiriam as movimentações e as emoções! Na área pública, não se perde o lado alegre da “gestão do divertimento”, onde as autoridades do Legislativo, Executivo e Judiciário, hoje, são os principais protagonistas! As “mentiras descabidas”, junto à histórias absurdas se tornam envolventes e divertidas, saindo até mesmo, “fora de sentido”! O setor de prefeitura, por si só, torna-se um cenário dificultoso para a elaboração de um estudo sobre o planejamento estratégico.

2 – Comportamento humano – Recordo-me de um servidor público que, através de uma palestra, para um seleto número de colaboradores (secretários, diretores etc), foi aclamado com aplausos pela clareza de conteúdo, planos etc, foi exonerado de seu cargo, no outro dia! Ou seja, figurativamente, no dia da palestra ele era o “artista” e no outro, transformou-se em “bandido” e os estudos foram todos para o “ralo do esgoto”, fazendo com que a instituição perdesse a sua linha de desenvolvimento econômico!

3 – Ciúme e inveja – Nas organizações públicas municipais, o conhecimento mais profundo sobre novas tecnologias, inovações em gestão, planejamento etc por parte de um servidor “mais estudioso” geram forte carga de “ciúme e inveja”, na maioria dos integrantes da equipe, principalmente, secretários, diretores, procuradores jurídicos etc do prefeito! Há cenários que, até a “esposa” do prefeito, deseja dar seus “pitacos”! A fidelidade e a lealdade devem ser construídas pelo prefeito, de forma profissional, auxiliado por um especialista da área! Com o passar dos tempos, naturalmente, a espiritualidade colabora na “leitura” dessas diversidades, bem como a percepção das pessoas de “energias vibracionais” tão negativas ao nosso redor, que não deixam nada progredir, como bem explica a Dra. Ana Beatriz no seu “best Sseller” – Mentes Perigosas – O Psicopata mora ao lado!

4 – Tô nem aí – Há prefeitos que não estão “nem aí” para utilização da ferramenta “planejamento estratégico”, porque o seu objetivo maior é que tudo fique fora do controle, para o mesmo verificar, através do descontrole, como poderá “obter” vantagens! Li em algum lugar que: “planejar é desenhar o futuro e diligenciar para manter esse futuro sob controle”! Inclusive, há prefeitos que não leem nem uma página de exaustivos estudos econômicos, planejamento etc que foram desenvolvidos, para a melhoria do município e de seu respectivo desempenho!

5 – Fidelidade e lealdade – Não se desenvolve um estudo de planejamento estratégico em uma prefeitura, se os respectivos secretários, diretores, juntamente com o procurador jurídico não estiverem “alinhados” e entrosados entre si e, principalmente, com lealdade ao respectivo prefeito!

6 – “Desfile de vaidades” de secretários de prefeito – O início da gestão de qualquer prefeito é um verdadeiro “festival de deslumbramentos”! A disputa é tão “acirrada” que parece mais, figurativamente, uma “disputa de modelos”, antes do desfile, conforme cita o dramaturgo Millôr Fernandes!

7 – Considerações Finais – Realmente, desenvolver um planejamento estratégico do “início ao fim”, no ambiente de uma prefeitura municipal, constitui-se mesmo em um desafio!

*Administrador e especialista em Gestão e Planejamento