Home > Opinião > “Minas, o melhor lugar para inovar”

“Minas, o melhor lugar para inovar”

Minas Gerais tem se destacado no que diz respeito à tecnologia e inovação. De acordo com o Censo Mineiro de Startups e de demais Empresas de Base Tecnológica (EBT), o número de startups no Estado cresceu 320% desde 2015 e 556% desde 2010. Estima-se que, atualmente, existem cerca de 1.050 startups aqui.

O levantamento mostrou também que a região metropolitana de BH concentra o maior número de startups (41%), seguido do Sul de Minas (17%) e Triângulo Mineiro (16%). Atualmente, o Estado ocupa o 2º no ranking de aceleradoras digitais.

Diante de tanto desenvolvimento, conversamos com secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Vinícius Rezende sobre as ações da pasta.

Como Minas Gerais tem fomentado o setor tecnológico?
Desde 2015, o Governo de Minas, por meio da Sedectes, tem atuado com diversos projetos para o fomento da ciência, tecnologia e inovação mineira. O programa Minas Digital foi criado para atuar como articulador do dinâmico ecossistema de inovação de MG, gerando crescimento econômico por meio da tecnologia, do empreendedorismo e da economia digital e criativa, conforme as necessidades e vocações das regiões mineiras. Dentre as inúmeras ações, destaca-se o Meu Primeiro Negócio, Startup Universitário, Uaitec e o Seed. As políticas estabelecidas desde sua criação já permitiram o desenvolvimento de projetos importantes, a formação de novos talentos e o crescimento de novos negócios. Além disso, a Sedectes realiza ao longo do ano inúmeros eventos para promover conexões.

É intenção do Estado transformar Belo Horizonte na capital da inovação?
O trabalho que está sendo desenvolvido busca tornar “Minas Gerais o melhor lugar para inovar”. O Minas Digital tem fomentado o ambiente de empreendedorismo e inovação do Estado, incentivando jovens a se envolverem com pesquisas e tecnologia, aproximando grandes empresas e startups, trazendo eventos conceituados para o público mineiro, impulsionando a criação de novas soluções para o mercado, abarcando projetos em todos os territórios do Estado, criando uma cultura de inovação efetiva. A política pública realizada pela atual gestão ouve os mineiros para depois governar.

Quais são os incentivos que o governo tem dado para estimular o desenvolvimento de projetos e startups?
O programa Minas Digital tem realizado diversas chamadas públicas que têm por objetivo estimular o desenvolvimento de projetos e startups. A intenção é implementar cultura do empreendedorismo e da inovação, seja com concessão de bolsas ou difusão do programa pelo Estado. Além disso, o governo conecta os empresários às startups, incentivando a implementação do empreendedorismo e inovação nas instituições de ensino, com a criação de empresas (startups), o que gera uma verdadeira política pública de Estado.

Especificamente no Seed (única aceleradora pública do país) foram, 152 startups aceleradas – 116 brasileiras e 36 estrangeiras, 384 empreendedores de 27 nacionalidades, 5.408 inscrições, mais de 300 empregos diretos gerados em MG e cerca de R$ 22 milhões em investimentos captados (isso somente para falar de um programa “premium” onde as startups selecionadas já estão em um estágio avançado de maturidade). Além disso, outra ação da Sedectes é o “Difusão do Minas Digital”.

O Estado tem mão de obra qualificada?
Minas tem talento de sobra para atuar no crescimento da inovação. O Inova-Pró, Programa do Minas Digital, seleciona projetos de startups em desenvolvimento por alunos e professores da pós-graduação stricto-sensu de instituições públicas de ensino superior sediadas aqui. As ações do Inova-Pró têm o objetivo de potencializar o ambiente de inovação e empreendedorismo existentes nas instituições, além de apoiar financeiramente projetos de startups que estejam em fase de concepção, ideação ou gestação. O Startup Universitário, outra ação da Sedectes, desperta a cultura empreendedora e o desenvolvimento dos ecossistemas universitários nas instituições públicas e privadas de ensino superior.

Qual a participação da tecnologia na economia do Estado?
As inovações tecnológicas provocam crescimento econômico em todos os setores. As transformações geradas pela inovação afetam as estratégias tecnológicas das empresas facilitando ou agilizando processos que se traduzem em benefícios de custos e produtividade. A inovação como a automação de processos e tarefas e a capacidade de aumento da capacidade produtiva revolucionaram todas as linhas de montagem e produção no mundo.

Minas hoje desponta como polo tecnológico e de inovação do país:
3º maior PIB nacional;
2º Estado com mais empresas de tecnologia da informação e biotecnologia;
2º maior ecossistema de startups do Brasil e abriga o San Pedro Valley;
Tem mais de 20 incubadoras distribuídas em 16 cidades;
Conta com seis parques tecnológicos e tem renomadas instituições de tecnologia têm sede aqui, como Google, IBM, GE, Embraer, Accenture, Infosys, etc.t
Acesse o site e conheça os programas da Sedectes: http://www.tecnologia.mg.gov.br/
Ariane Braga
Apaixonada por animais, mercado econômico e educação. Tem 29 anos, graduou-se em jornalismo e cursou MBA em marketing na Unopar. Tem experiência de mais 8 anos na área de comunicação e marketing, com a elaboração de projetos, assessoria de imprensa, redação e edição de jornais e revistas, planejamento e monitoramento de mídias sociais, comunicação interna e fotografia.