Home > Colunas > O legítimo campeão Celeste

O legítimo campeão Celeste

Com o Mineirão lotado e vestido de azul e branco, o Cruzeiro demonstrou toda sua força, raça, inteligência e qualidade, dominou o Atlético durante toda a partida, reverteu a vantagem do rival, que havia ganhado o jogo de ida por 3 a 1 e venceu por 2 a 0, no último dia 08 de abril, gols de Arrascaeta e Thiago Neves, conquistando o seu 37º Campeonato Mineiro com uma campanha quase perfeita.

Foram 13 vitórias, dois empates e apenas uma derrota. Melhor ataque e defesa menos vazada. E na grande final sinônimo de superação. Em 104 anos de história nenhum time que precisava vencer por dois gols de diferença havia sido campeão mineiro. O time Celeste provou uma vez mais que os tabus servem para ser quebrados.

O Cruzeiro manteve a base do time campeão da Copa do Brasil do ano passado e dominou a competição estadual de forma soberana. A equipe contou com o apoio maciço de sua torcida rumo ao título estadual. No Cruzeiro desde 2015, Arrascaeta já marcou seis gols em clássicos. Certamente o desse último jogo é o mais especial deles. O mesmo vale para Thiago Neves, que chegou à Toca da Raposa no ano passado e, em pouco mais de um ano, já marcou quatro gols sobre o Atlético.

Outro ponto forte do time foi o sistema defensivo. Liderados pelo capitão Fábio, experiente goleiro e considerado um dos melhores do Brasil, os zagueiros Léo e Dedé não deram chances aos adversários. Com excelente posicionamento e belas antecipações, as “muralhas azuis” trouxeram tranquilidade ao time que sofreu apenas seis gols ao longo da competição.

 

Demonstrando possuir um elenco forte e cheio de alternativas, em alguns jogos, o técnico Mano Menezes colocou em campo uma equipe considerada alternativa. Mesma assim, o Cruzeiro manteve excelente nível técnico, vencendo seus adversários com um futebol altamente competitivo e envolvente.

De fato, o Cruzeiro possui um dos melhores elencos do Brasil. O técnico tem ótimas opções no banco de reservas e consegue armar o time se dando ao luxo de poupar atletas importantes como Fábio, Rafael Sóbis, Thiago Neves, Dedé, Fred, Arrascaeta, entre outros.

A diretoria cruzeirense também merece aplausos. Sob o comando do estreante presidente Wagner Pires de Sá, vem realizando um trabalho satisfatório até aqui. O programa sócio-torcedor do clube tem sido um grande sucesso. As contratações e manutenção do elenco também são destaque. Além disso, as campanhas de marketing têm valorizado ainda mais o Cruzeiro no cenário nacional e internacional.

Todos esses ingredientes culminaram nesta bela conquista do título Mineiro. Em verdade, em se tratando de uma equipe da grandeza do Cruzeiro, vencer o Estadual é quase uma obrigação. A torcida Celeste já estava sentindo falta deste triunfo, principalmente conquistado sobre o maior rival. O caneco de Campeão Mineiro, incontestavelmente, ficou em boas mãos.

Passada a euforia, o Cruzeiro vai em busca de outros grandes desafios. Conquistar a Taça Libertadores da América e o Campeonato Brasileiro. Para isso, precisa se recuperar na competição Sulamericana. Já no Brasileirão, a estreia é contra o Grêmio, campeão gaúcho, no tradicional jogo das faixas. Vale a sua torcida. Avante Raposa!!!

*Desembargador do TJMG e Bacharel em Comunicação Social – Jornalismo