Home > Colunas > Quem sabe, sabe

Quem sabe, sabe

Na foto: O presidente da CDL/BH Marcelo de Souza e Silva tem feito um bom brabalho em defesa dos lojistas de Belo Horizonte

CANAL ABERTO

Período de Carnaval com muitas aglomerações. Apesar da proibição das comemorações do Carnaval, boa parte da população não se importou com a gravidade da pandemia do coronavírus e insistiu em não cumprir as determinações das autoridades, tentando burlar a fiscalização. As aglomerações ocorreram em várias partes do Brasil, seja em festas clandestinas, bares e praias. A consequência é que a transmissão da doença poderá ser maior do que nas festas de Natal e Réveillon. Somente em Belo Horizonte e Região Metropolitana, pelo menos 500 festas, tais como show de rock, baile funk, pagode e outros tipos foram impedidas de serem realizadas pela Guarda Municipal e Polícia Militar, que informaram que a maioria do público era composta por jovens. Essas pessoas têm que se conscientizarem de que respeitando o isolamento e as outras medidas de prevenção, estarão evitando que os seus entes queridos, vizinhos ou amigos sejam contaminados pela COVID-19, inclusive tendo graves consequências.

Aeroporto da Pampulha. A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade abriu uma consulta pública do edital referente ao projeto de concessão do Aeroporto da Pampulha de Belo Horizonte. O prazo para receber contribuições da sociedade sobre o modelo proposto termina no dia 23 de março. O local atende atualmente ao tráfego de aeronaves da aviação executiva e geral. Está instalado em uma área de quase 2 milhões de metros quadrados, na região da Pampulha, a cerca de 8 quilômetros do Centro de BH. Além de estar próximo do Conjunto Arquitetônico da Pampulha (Museu de Arte Moderna, Casa do Baile e Igreja São Francisco) e o Estádio Mineirão. O ganho operacional com a ampliação de investimentos na infraestrutura aeroportuária e nos serviços beneficiará diretamente os usuários e tem potencial para atrair novos negócios na região. A volta das operações de voos no Aeroporto da Pampulha é um assunto que se arrasta há anos e não se chega a uma decisão que agrade todos os setores da sociedade.

Monte Verde entre as mais acolhedoras do Brasil. A hospitalidade mineira sempre foi muito elogiada em todo o país. Recentemente, o distrito de Monte Verde, no Sul de Minas, foi reconhecido como um dos mais acolhedores do Brasil. Conhecida como a Suíça mineira, a localidade pertence ao município de Camanducaia e se destaca pelas baixas temperaturas e a arquitetura inspirada no estilo europeu. A gastronomia é destaque com chocolates artesanais, fondues e degustações de vinhos. O título foi concedido pelo site Booking.com, uma das plataformas digitais de viagens mais conhecidas internacionalmente. Também foram avaliados com as melhores notas pelos turistas, Penedo (RJ), Fernando de Noronha (PE), Ilha do Mel (PR), Bento Gonçalves (RS), Nova Petrópolis (RS), Lavras Novas (MG), Visconde de Mauá (RJ), Cambará do Sul (RS) e Serra do Cipó (MG). A cadeia produtiva do turismo mineiro agradece o reconhecimento.

TURISMO PODE GERAR MAIS EMPREGOS EM 2021

O setor de Turismo gerou mais de 20 mil empregos em 2020, mesmo sendo um dos segmentos mais afetados pela pandemia do novo coronavírus. Esse dado é do Ministério da Economia e representa cerca de 15% dos 142 mil postos de trabalho criados durante todo o ano passado nos diversos ramos da economia brasileira. As atividades de Hospedagem e Alimentação foram os destaques, garantindo juntas mais de 24 mil novas vagas. Na avaliação do Ministério do Turismo, o número mostra a importância que o setor tem no país e o potencial na recuperação econômica. Entre os estados, Santa Catarina (3,35 mil) foi o que mais gerou empregos, seguido da Bahia (3,33 mil), São Paulo (2,6 mil) e Minas Gerais (1,5 mil).

MAIOR MÉDIA DIÁRIA DE MORTES POR COVID-19

O Brasil atingiu a maior média diária de óbitos por COVID-19 desde o começo da pandemia. Para se ter uma ideia, somente na última semana, a doença matou 1.105 brasileiros por dia. Já são 25 dias com mais de mil mortos diariamente no país. No total, já são 240 mil vidas perdidas e mais de 9 milhões que contraíram a doença. A vacina contra o vírus chegou em janeiro e a campanha começou sem uma coordenação do governo federal e a falta clara de comunicação com a população. Junte-se a isso uma série de erros de planejamento, fazendo com que a chegada do imunizante atrasasse em vários estados. Para piorar esse show de incompetência, cerca de 60% dos municípios já não têm mais vacinas e já paralisaram o processo. Se continuar nesse ritmo, levará uns 3 anos para vacinar todos os brasileiros.

SEGURANÇA PARA MOTORISTAS E PASSAGEIROS DE APLICATIVO

Recentemente, o governo estadual apresentou uma lista de demandas às empresas de transporte por aplicativos que atuam em Minas. O objetivo é que elas adotem medidas para apoiar o trabalho que vem sendo executado pela Polícia Militar para aumentar a segurança de motoristas e passageiros que utilizam as plataformas. Entre os pontos expostos estão a melhora do sistema de identificação dos usuários, assim como o mapeamento das áreas consideradas mais perigosas para as corridas. Os resultados já estão aparecendo, como quadrilhas que foram descobertas e furtos interrompidos graças ao início das operações. Vale lembrar que, em dezembro, um motorista de aplicativo da capital foi morto a facadas por dois jovens que foram levados para a cadeia. Há poucos dias, outra condutora foi assaltada e agredida por dois homens que também foram presos em flagrante.

O conteúdo desta coluna é de responsabilidade exclusiva do seu autor