Home > Esporte > Praticar esportes durante o frio requer cuidados especiais

Praticar esportes durante o frio requer cuidados especiais

Os termômetros começam a marcar temperaturas mais baixas e muitas pessoas tendem a não praticar atividade física, ainda mais agora com as academias fechadas e a necessidade de fazer isolamento social. No entanto, praticar algum exercício é fundamental em todos os meses do ano não apenas para manter a forma. Essa época de inverno requer ainda mais cuidado e atenção para evitar lesões, principalmente para quem é sedentário.

O educador físico Marcos Oliveira cita os principais problemas que podem ocorrer nesse período do ano. “É muito importante manter a saúde do corpo e hábitos saudáveis. Existem muitos que deixam de fazer atividade física no frio, podendo acentuar dores e rigidez muscular. Isso acontece porque nossos músculos se contraem para tentar aumentar a produção de calor, o que eleva a tensão nas fibras musculares”, explica.

Ainda conforme Oliveira, a prática de exercício físico no inverno também é uma ótima aliada para o aumento da temperatura corporal. “É necessário nos movimentarmos, seja com qualquer atividade. Pode ser uma caminhada, pilates, ioga, musculação. Nesse período de temperaturas baixas não temos vontade de sair de baixo das cobertas, mas não podemos ficar parados. Ainda mais que o ganho de peso nessa época é maior, pois consumimos mais alimentos calóricos”.

Ele diz que a atenção deve ser redobrada no tempo frio e reforça que o aquecimento deve ser realizado antes de qualquer atividade. “A nossa musculatura fica mais retraída e tensa. Primeiro é preciso fazer um leve alongamento e depois partir para o aquecimento do corpo. Tudo deve ser feito de forma mais lenta, durante pelo menos 15 a 20 minutos, para diminuir o risco de lesões. Esse é um cuidado especialmente aos sedentários”.

Entre outros cuidados, o educador físico salienta que a percepção de esforço no frio é menor. Ou seja, o corpo parece responder melhor e trazer uma sensação de que está sobrando ar ao começar uma atividade. “Esse é um problema grave e que pode trazer sérios riscos à saúde. Pode haver uma grande sobrecarga tanto para os músculos quanto para o coração”.

Além disso, não é porque estamos no inverno que a ingestão de líquidos deve ser deixada de lado. “Apesar de suar menos, nosso organismo necessita ser hidratado antes, durante e após os exercícios. Outra dica é com relação à vestimenta. Use roupas que mantém o corpo aquecido, porém leves e confortáveis para não prejudicar os movimentos. O ideal é se exercitar de 3 a 5 vezes na semana por pelo menos 30 minutos diários”.

Muitas pessoas também tinham o hábito de fazer caminhas ou corridas ao ar livre. Porém, nesse momento delicado de pandemia, a atitude deve ser evitada. “Existe uma pesquisa mostrando que a atividade em locais púbicos é mais fácil a contaminação pelo coronavírus. Isso porque nem sempre é possível estabelecer o distanciamento das outras pessoas. Em uma caminhada leve, as gotículas podem percorrer até 5 metros. Se for em uma corrida, a distância aumenta para 10 metros. E ainda vejo alguns se exercitando sem o uso da máscara”, afirma.

Cuidados com alimentação

A nutricionista Mariane Figueiredo salienta a importância de saber escolher os alimentos adequados. “Nessa época mais fria, o ideal é evitar o consumo excessivo de chocolates, doces, bebidas alcoólicas, comidas industrializadas, entre outros. Prefira caldos quentes, sopas de legumes, chás, frutas assadas e legumes cozidos. Eles aliviam a fome e ainda aquecem o corpo”.

Outro fator do frio é que as câimbras podem aumentar, principalmente nos membros inferiores. “Isso pode ser facilmente prevenido com a ingestão de minerais como magnésio, cálcio e potássio. Esses elementos atuam diretamente na contração muscular. Aposte em um punhado de castanhas, nozes ou amêndoas, derivados do leite, banana e melão. A batata-doce, seja cozida, assada ou amassada, também é rica em potássio e supre 12% da capacidade diária do organismo”.

A hidratação é de extrema importância neste período. “É comum sentir menos sede no inverno do que em épocas mais quentes. No entanto, a diurese aumenta no frio, por essa razão o consumo de água é essencial. Além disso, a desidratação favorece a contração muscular involuntária durante exercícios físicos. A recomendação é ingerir pelo menos 2 litros todos os dias”, conclui.

Daniel Amaro
Formado em jornalismo, Daniel tem 25 anos e possui experiência em assessoria de comunicação voltado para produção de conteúdo para web. Ama escrever sobre política, cultura, economia e saúde. É apaixonado por jornalismo investigativo e estudar inglês. É perseverante e adora desafios. Seu hobby preferido é viajar.