Home > Colunas > Quem sabe, sabe

Quem sabe, sabe

crédito - Marina de Moura

CORONAVÍRUS 

Apesar do assunto já estar bastante difundido, não podemos deixar de falar da pandemia causada pelo novo coronavírus, um tipo de microorganismo que está preocupando as autoridades da área de Saúde e a população mundial. No momento, a principal recomendação é que as pessoas fiquem em casa o máximo possível. Os governos estaduais e municipais tomaram algumas medidas preventivas para conter o aumento dos casos.  Estão suspensas as atividades não essenciais do serviço público, além do fechamento de muitas instituições e empresas. O Sindicato dos Hotéis, Motéis, Restaurantes, Bares e Similares de BH (Sindhorb-BH), no qual o presidente é este que vos escreve, também está orientando os seus associados para tomarem os cuidados necessários em seus estabelecimentos a fim de evitar o contágio de funcionários e clientes.

ÁLCOOL EM GEL TEM AUMENTO ABUSIVO

A chegada do coronavírus ao Brasil tem pressionado o preço de itens de higiene e produtos hospitalares. Um exemplo é o álcool em gel que teve aumento abusivo em menos de uma semana. Uma garrafa de 500ml, que custava em torno de R$7, hoje é encontrada por até R$ 40. Aumentar o preço de máscaras e álcool em gel 70°, no momento em que a população não tem outras opções de proteção, está mais próximo da extorsão e do absurdo do que do exercício de livre mercado. É querer levar vantagem em cima do povo. A França, por exemplo, decidiu tabelar o preço do álcool em gel e investigar a cobrança de preços abusivos. Cabe ao governo e aos órgãos fiscalizadores investigarem e adotarem medidas rigorosas para conter os preços exorbitantes para que a população e todos os segmentos da sociedade não sejam prejudicados.

GRANDE BH TEM MAIS DE 6 MILHÕES DE HABITANTES

Os resultados do último Censo sobre a população brasileira, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicou Belo Horizonte como o 6º maior município do Brasil, com uma população de 2,5 milhões de habitantes. No entanto, o dado mais interessante é que a Grande BH possui “apenas” 6 milhões de pessoas. Como se explica esse fenômeno? É simples. Com um território de apenas 331 km² de capital, o crescimento será sempre pequeno. Por isso, a solução é procurar os municípios vizinhos que estarão sempre em crescimento. Para se ter uma ideia, Ouro Preto possui 1,2 mil km², muito acima de Belo Horizonte.

CANAL ABERTO

TVs por assinatura perdem clientes. A TV por assinatura está em declínio. Um relatório da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) mostrou que o serviço perdeu 1,7 milhão de assinantes e fechou o ano passado com 15,7 milhões de clientes em todo o Brasil. Em 2018, o total era de 17,3 milhões de assinantes. A Claro/Net é a líder do setor, seguida pela Sky. Alguns fatos explicam a queda. O primeiro é a preferência das pessoas por plataformas de streaming. O segundo ponto é o serviço caro. A TV por assinatura, com um pacote interessante e que atende às necessidades do perfil de cada telespectador, custa cerca de R$ 200. Os três principais serviços de streaming no Brasil atualmente (Netflix, Amazon Prime e Globoplay), juntos, custam menos de R$ 100. As operadoras devem repensar a política de preços dos pacotes.

Fonte: Observatório da TV

AGU cobra ressarcimento de fabricantes de cigarros. As duas maiores fabricantes de cigarros do Brasil, Souza Cruz e Philip Morris, têm até o dia 31 de março para apresentarem suas defesas em ação civil pública ajuizada pela Advocacia-Geral da União (AGU). A ação cobra o ressarcimento dos gastos federais do Sistema Único de Saúde (SUS) para o tratamento de doenças causadas pelo tabaco. O pedido da AGU abrange os gastos da União nos últimos 5 anos com o tratamento de pacientes portadores de 26 doenças, cuja relação com o consumo ou simples contato com a fumaça dos cigarros é cientificamente comprovada. Como todos sabem o fumo é prejudicial à saúde, por isso é necessário sempre promover campanhas para diminuir, cada vez mais, o número de fumantes no mundo.

Fonte: Diário Indústria&Comércio