Home > Destaques > Alergia causada por exercício físico é algo raro, mas existe

Alergia causada por exercício físico é algo raro, mas existe

É muito comum colocarmos o desânimo de ir à academia na conta da preguiça, correria, falta de dinheiro e inúmeros outros fatores. No entanto, algumas pessoas sofrem com a anafilaxia induzida pelo exercício que, basicamente, é uma alergia causada pela atividade física.

A fisioterapeuta Renata Guidi explica que a anafilaxia pode ser conhecida como choque anafilático. “Trata-se de uma reação alérgica grave, que pode se desenvolver rapidamente, mas que se resolve dentro de alguns minutos. Ela pode ocorrer por consequência de algum alérgeno externo que o sistema imunológico do indivíduo não é capaz de combater com a eficácia necessária”.

Várias razões podem desencadear a anafilaxia. “Uma picada de inseto, alimento ou medicação que o indivíduo tomou e não estava acostumado. São muitos os agentes e a pessoa pode ter sensibilidade a determinado alérgeno”.

O exercício físico também pode engatilhar uma reação anafilática. “Pode acontecer logo após a atividade e, por isso, a pessoa tem uma queda na pressão arterial, náuseas e desconforto. É como uma reação alérgica grave a um exercício físico vigoroso. E pode ser decorrente de algum alimento que a pessoa come antes da prática, remédio ou atividade que o indivíduo não está acostumado e nem seu sistema imunológico”.

Tratamento
Renata explica que o problema tem tratamento e que tudo depende do tipo de reação e do agente causador. “De um modo geral, existem alguns medicamentos que podem solucionar o quadro. Se é uma reação alérgica, uma asma ou algo nesse sentido, por exemplo, pode ser tratado com medicação”.

No caso da anafilaxia causada pelo exercício físico, deve-se evitar os fatores que desencadeiam a patologia. “O ideal é analisar corretamente qual tipo de exercício ela pode fazer e em qual intensidade deve ser executado para que não engatilhe a reação anafilática”.

O ideal, segundo a especialista, é evitar o exercício ou modalidade que induziu a reação. “A pessoa pode procurar outra prática que traga saúde e não dê o choque. Ela precisa analisar também a alimentação pré-treino, pois se a reação anafilática vem de algum alimento, deve ser cortado da dieta”.

Renata reforça a necessidade de consultar um especialista antes. “A pessoa deve ser orientada por um personal trainer, um médico da área ou um fisioterapeuta para que o profissional possa instruir qual exercício fazer”.
Outros hábitos também podem ajudar, principalmente, os alimentares. “A pessoa pode buscar um nutricionista, fazer análise para ter uma alimentação balanceada e que esteja de acordo com os treinos. Além disso, ter os exames em dia e fazer uma avaliação a fim de saber como estão as vitaminas e o sistema imunológico”, conclui.

Nat Macedo
Belo-horizontina, 25 anos. Graduada em jornalismo pelo Centro Universitário Estácio de Sá, fez cursos de Consultoria de Imagem e Design de Moda. Há 5 anos criou um blog voltado para o público feminino. Interessada em assuntos relacionados à minoria, gosta de dar visibilidade as pequenas causas voltadas a inclusão e empoderamento destes nichos.