Home > Destaques > Projeto de reeleição de Zema movimenta a política mineira

Projeto de reeleição de Zema movimenta a política mineira

Crédito: Gil Leonardo

“O governador Romeu Zema (Novo) tem sido eficiente e demonstra coerência em relação ao seu discurso ideológico depois de um ano de administração. Na verdade, ele comanda a máquina estatal com seriedade promovendo uma assepsia na sujeira deixada pelo governo passado. No âmbito da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, o chefe do Executivo tem cumprido os compromissos assumidos, inclusive a liberação das emendas parlamentares”, garante o deputado Arlen Santiago (PTB).

Na semana passada, Zema participou, em Brasília, de um programa na Globo News. E, ao ser sabatinado pelos jornalistas, ele evidenciou que está dominando mais a cena política, inclusive dando a entender que pretende ser candidato à reeleição. “Posso colocar meu nome novamente à apreciação dos mineiros, caso julgue necessário haver mais tempo para completar meu projeto de governo”.

As declarações do chefe do Executivo, especialmente no que diz respeito ao seu futuro político, foram como um balde de água fria em seus adversários políticos. Como se sabe, o ex-prefeito Marcio Lacerda tem um projeto para começar a fazer contatos no interior. Seu maior objetivo é colocar seu nome à disposição para o pleito de 2022. O atual prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), também busca ser reeleito, se possível no primeiro turno, para depois se cacifar ao posto de governador. Enquanto isso, o senador Rodrigo Pacheco (DEM), distante da sucessão da capital nesse ano, já avisou que pretende participar da eleição majoritária daqui a 2 anos.

Ainda durante a entrevista, Zema voltou a destacar o seu compromisso de privatizar as empresas do governo mineiro, com destaque para Cemig. Na avaliação do governador, a estatal está sucateada e necessita de milhões em investimentos para atender melhor seus usuários. Relativamente a esse assunto, desde a época do então governador Itamar Franco, existe uma lei estabelecendo critérios para privatizar essas companhias, como a votação de dois terços dos deputados na ALMG mais um referendo popular.

Uma das perguntas feitas para Zema foi: “Governador, o que o senhor faria diferente em relação ao início de seu governo?”. E, de prontidão, ele respondeu que a presença do atual secretário de governo e deputado federal Bilac Pinto tem ajudado bastante em seu relacionamento com a ALMG.  E que, a partir disso, tem mantido contato com todos os deputados, inclusive os petistas, com destaque para André Quintão e Virgílio Guimarães.

Eficiência na comunicação  

De acordo com o governador mineiro, de maio para cá, houve mudanças na estrutura de comunicação após uma constatação: uma coisa é gerir uma grande empresa, na qual só uma gestão competente é suficiente. Outra é o segmento público que, além de administrar de maneira eficiente, precisa haver uma comunicação assertiva para divulgar as ações para a população. Zema ressalta que foi neste momento que aconteceu a nomeação do atual secretário de Comunicação, Roberto Bastianetto.

Embora não tenha tido tanto destaque durante a entrevista, a dobradinha Romeu Zema e Paulo Brant tem funcionado a todo vapor, especialmente na hora de encaminhar assuntos políticos devido à experiência do vice-governador.