Home > Colunas > Atletas recebem muito, será que sabem investir

Atletas recebem muito, será que sabem investir

Estamos sempre lendo nos jornais, redes sociais e revistas, assistindo nas emissoras de televisão e ouvindo no rádio que os atletas ganham muito, principalmente os jogadores de futebol. Salários de R$ 50 mi, 70, 100, 200, 500 e até R$ 1 milhão isso por mês, além de publicidades, uso de chuteiras, camisas, propagandas em comerciais de TV, rádios, revistas e jornais, aí o salário aumenta ainda mais. Sabemos que não são todos, pois tem milhares de jogadores recebem 1 ou 2 salários mínimos por mês. Mas os que recebem altos salários, investem em automóveis importados, em sua maioria modelos superesportivos para rodar pelas ruas.

Muitas das vezes, percebemos que a grande maioria vive o momento e se esquece do amanhã: 95% não estuda o seu futuro, pois o atleta de futebol começa aos 18 anos e tem o término de sua carreia aos 30, 31, 32 anos, e não tem um plano B para quanto aposentar.

Ouvimos que fulano jogou no Brasil e exterior ganhou muito dinheiro no esporte e perdeu tudo? Na verdade, não perdeu tudo, não soube investir, não se planejou, é necessário a educação financeira para atletas. Comprou carrões, gastou com baladas, festinhas, joias, bebidas entre outras grandes despesas. Na hora que “abriu” o olho perdeu tudo!
Sabemos que o atleta ganha um alto salário “cedo” e se aposenta “cedo” também. É necessário um bom planejamento para finalizar a carreira com a situação financeira tranquila para partir para outro negócio, após parar de correr atrás da bola nos campos de futebol.

Um atleta começa aos 18 anos, e não tem maturidade suficiente para lidar com altos salários, assim aparecem empresários para “lidar” com sua carreira, parentes para sustentar, filhos, mulheres por todos os lados, etc.
Isso é perfeitamente aceitável. Imaturo, cheio de sonhos e energia, gasta tudo ou mais do que ganha. Hoje, os clubes precisam criar setores com profissionais gabaritados para orientar os atletas e um time precisa entender a importância desse assunto. Palestras e orientações, no dia a dia, são fundamentais.

Sugerimos aos clubes visitarem as universidades, cursos de MBA, fundações educacionais, pois os atletas de futebol, de vôlei, futsal, ginástica, natação e basquete, que contam com atletas de alto nível e recebem bons salários, tenham um educador financeiro. Ele não terá a senha do banco, ele não vai confiscar o cartão de crédito, o profissional vai fazer a orientação financeira, fundamental para que todos tenham um futuro melhor. O profissional está no mercado para direcionar e ensinar como o dinheiro vai trabalhar futuramente. A vida é bela, mas passa rápido, acredite!

*Jornalista – sergio51moreira@bol.com.br