Home > Esporte > Spinning: treino na bicicleta emagrece e oferece outros benefícios

Spinning: treino na bicicleta emagrece e oferece outros benefícios

Praticado em cima de uma bicicleta estacionária, o spinning é uma das atividades mais procuradas dentro das academias. Isso porque as aulas são animadas ao som de música e prometem fazer o praticante suar a camisa. A modalidade pode ser praticada por pessoas de qualquer faixa etária e traz uma série de benefícios para o corpo, principalmente para quem deseja se manter em forma.

A educadora física e professora de spinning Raquel Aguiar diz que os treinos simulam trajetos com variações de força e velocidade. “É uma modalidade aeróbica coletiva e possui diversas intensidades. Elas podem ser adaptadas de acordo com as condições e limite da pessoa. O spinning pode ser praticado em qualquer idade, mas é importante passar por uma avaliação médica antes para evitar o risco de sofrer lesões”.

Entre os principais benefícios para o corpo, a educadora física cita a alta perda calórica em cada aula. “Independentemente da intensidade, o exercício promove o emagrecimento. O gasto calórico pode variar entre 500 e 700 calorias em um treino de 45 minutos. No entanto, também é preciso aliar a atividade a uma alimentação saudável”, avalia.

Ainda conforme a professora, o spinning ajuda no fortalecimento dos músculos dos membros inferiores, da região do quadríceps, coxas, glúteos, panturrilhas e até abdômen. “Além disso, os exercícios proporcionam a diminuição da pressão arterial e colesterol, reforça o sistema cardiovascular e respiratório e melhora a circulação sanguínea”.

Mudança de rotina
E foi pensando em todas as vantagens e buscando sair do sedentarismo que a manicure Joana Soares decidiu começar a fazer aulas de spinning. “Estou praticando há cerca de 3 meses e já sinto uma boa diferença, tanto no meu condicionamento físico quanto nas minhas pernas. A energia das aulas foi o que me motivou a continuar. O professor é maravilhoso, alto astral e a música também ajuda muito”, conta.

Ela diz que começou fazendo duas aulas por semana e, hoje, já são quatro vezes. “No início foi bem puxado, o corpo doía no dia seguinte, mas foi questão de tempo para me acostumar. A gente cansa e sua muito, mas não quer parar de pedalar. A hora passa rapidinho e é sempre uma diversão, ainda mais que a atividade é feita em grupo. A gente faz novas amizades, brinca e sai da academia com outro ânimo”.

Atenção e cuidados
Para quem está começando a pedalar, Raquel diz que o ideal é praticar de duas a três vezes por semana. “É sempre bom iniciar com aulas menos intensas para que o corpo possa se acostumar. O condicionamento vai melhorando com o passar do tempo e a frequência pode ser diária”.

Fazer o spinning corretamente é fundamental para evitar dores nas costas e no pescoço. “É necessário manter a postura certa durante toda a sessão. Também é importante ajustar a bicicleta, como altura e distância do banco e guidão. Sempre siga todas as orientações do professor”, explica a educadora física.

O aquecimento e hidratação nas aulas também são indispensáveis. “É bom preparar o organismo para a atividade mais intensa. A modalidade pode se tornar desconfortável se não for feito um aquecimento. Para prevenir a desidratação, o ideal é levar uma garrafinha de água e beber pelos menos 200 ml a cada 15 minutos da atividade. Leve uma toalhinha para se enxugar, pois o spinning faz suar bastante”, conclui.