Home > Esportes > Número de idosos nas academias cresceu 30% na última década

Número de idosos nas academias cresceu 30% na última década

Quando pensamos em academia, a imagem que vem à cabeça é de um lugar cheio de jovens se exercitando para deixar o corpo em forma. No entanto, dados da Associação Brasileira de Academias (Acad Brasil) revelam que o número de pessoas com mais de 60 anos que entram na academia vem aumentado consideravelmente. O percentual de idosos matriculados passou de menos de 5%, no início da década passada, para 30% na atualidade. Prova que a terceira idade está cada vez mais preocupada em deixar o sedentarismo de lado para cuidar da saúde.

A aposentada Geni Gonçalves, de 71 anos, frequenta a academia há cerca de um ano. “Eu sentia dores no joelho e comecei por recomendação médica. Elas foram desaparecendo e a atividade me deu disposição. Estou até me sentindo com mais resistência física. Além disso, ficava muito sozinha em casa e sentia falta de conversar com alguém. Na academia, a gente se diverte, faz amigos e isso melhora nossa saúde e bem-estar”, relata.

De acordo com a personal trainer Luana Vasconcelos, fazer uma atividade física traz diversos benefícios para a saúde, principalmente, para o púbico da terceira idade. “É importante que o idoso só comece a se exercitar depois de passar por uma avaliação completa de um profissional de saúde. Eles podem frequentar a academia de 2 a 3 vezes por semana e descansar nos outros dias para recuperar o corpo”.

Muitos pensam que os idosos só podem fazer atividades aeróbicas, como a hidroginástica. “Isso é uma ideia que todos têm, inclusive, muitos profissionais ficam limitados somente nessa área. Na verdade, o púbico da terceira idade pode praticar qualquer exercício. Eles também têm procurado a academia para melhorar condicionamento físico, alongamento e até treinos musculares”, afirma.

Luana alerta que o estabelecimento deve oferecer uma estrutura adequada, sobretudo profissionais experientes. “É preciso ter as instalações acessíveis com rampas ou elevadores. O personal que vai lidar com esse público tem que ter paciência, disposição e amor pela profissão. Além de trabalhar o lado físico, existe a parte psicológica e social que também estão envolvidas na atividade”.

Ela explica que o exercício físico aumenta a autonomia e a independência do idoso. “Muitas vezes, eles fazem por orientação médica, mas, além disso, buscam aumentar a resistência para os afazeres domésticos, poder ter mais equilíbrio e saírem de casa sozinhos para as compras. A academia também é um local em que podem conversar e fazer novas amizades”, finaliza.

Daniel Amaro
Formado em jornalismo, Daniel tem 25 anos e possui experiência em assessoria de comunicação voltado para produção de conteúdo para web. Ama escrever sobre política, cultura, economia e saúde. É apaixonado por jornalismo investigativo e estudar inglês. É perseverante e adora desafios. Seu hobby preferido é viajar.