Home > Economia > Confraternização de fim de ano com churrasco pode variar em até 200%

Confraternização de fim de ano com churrasco pode variar em até 200%

Crédito: Pixabay

As confraternizações de fim de ano já batem à porta e a pior opção é sempre deixar para última hora. Quem tem a intenção de contratar o serviço de buffet de churrasco e distribuidora de chope (barril) para reunir grupo de amigos, familiares ou empresas já pode começar a se organizar. Pesquisa realizada pelo site Mercado Mineiro, entre os dias 08 e 10 de outubro, que consultou 63 fornecedores do serviço em Belo Horizonte e região metropolitana, mostra que a variação dos preços do buffet de churrasco pode chegar a 200% e o aluguel de barril de chope varia em até 86%.

No caso do churrasco, os preços vão de R$ 45,00 até R$ 135,00 por pessoa, a média do valor praticado é de R$ 66,92. A diversidade do menu e a equipe disponibilizada variam de acordo com cada empresa. Mas, no geral, em média, uma festa contratada tem duração de 06h, com escolha de até 8 opções de carnes e 3 alternativas de entradas. Como acompanhamentos, os clientes podem escolher entre porções de arroz, farofa ou salada. Vinagrete, batata frita e sobremesa já estão inclusos. Todas as opções incluem refrigerantes e água mineral, de acordo com a quantidade de pessoas. Bebidas alcoólicas, na maior parte dos casos, são cobradas à parte.

Para o coordenador do Mercado Mineiro, Feliciano Abreu, é necessário que o cliente pesquise separadamente uma referência da opção que mais agradar. “É importante observar a variação tanto do preço por pessoa quanto da eventual qualidade, porque, como é um serviço, não tem padrão. O mais relevante é ter a noção dos valores de diversos fornecedores, como apontado na pesquisa, mas, ao mesmo tempo, procurar por uma referência”.

Em relação ao ano passado, o mesmo serviço de buffet sofreu um aumento de 6,76%. Em 2018, o valor médio era de R$ 62,68, aumentando para R$ 66,92. “É um acréscimo considerável, mas é importante lembrar que o produto básico é a carne bovina, que foi a que mais subiu. A elevação do carvão, por exemplo, é irrisória porque a quantidade gasta não é a mesma de uma picanha”, diz o coordenador. Abreu também alerta para que a estrutura não seja esquecida. “É importante perguntar a quantidade de garçons para o tanto de pessoas, ajudantes e até sobre os utensílios usados (talheres, pratos e copos)”.

Já o barril de 30 litros de chope pilsen de marcas variadas pode custar de R$ 280 a R$ 495, com uma variação de 76%. O barril de 50L, do mesmo tipo de cerveja, pode sair por R$ 390 até R$ 725, com uma variação de 86%. “Tem pilsen premiado, Brahma, Kaiser, Skol e novas empresas que estão entrando nesse mercado. Não tem como falar que um é o melhor porque isso é pessoal. Às vezes, o que é melhor para um, para mim não é, talvez eu até goste do mais barato. O importante da pesquisa é ser um norte”, explica Abreu. As taxas de entregas e o aluguel da chopeira precisam ser negociados.

Mas nem só de pesquisa é realizada uma festa de sucesso, planejamento é fundamental. “Todos os fornecedores consultados avisaram que, dependendo da data, já não há mais agenda. Justamente, porque todo mundo quer a uma semana do Natal”. Segundo Abreu, o que tende a acontecer é que, para atender a demanda de última hora, as empresas aumentam o tamanho da equipe. “Eles contratam mais garçons e prestadores de serviços e a qualidade pode cair”, diz.

Planejamento é a palavra de ordem para engenheira química Fabiana Oliveira, 31, e sua turma de amigas. Experiente na organização de suas festas de fim de ano, ela também aconselha a contratar tudo com antecedência. “É uma tradição, a gente sempre se reúne, então, como é certo, já tenho vários contatos de fornecedores confiáveis”. Apesar da churrasqueira ficar por conta das próprias amigas, o chope é comprado. “A gente gosta do artesanal e é preciso consultar bastante, porque, além do pilsen, existe uma infinidade de opções”, conta.