Home > Educação e cultura > Enem: saiba possíveis temas para a redação mais aguardada do ano

Enem: saiba possíveis temas para a redação mais aguardada do ano

A contagem regressiva para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) começou. Falta menos de 30 dias para a prova que tem como objetivo avaliar o desempenho do estudante ao fim da escolaridade básica, além de ser ingresso para inúmeras instituições de ensino superior no Brasil. Neste ano, o exame será aplicado nos dias 3 e 10 de novembro. E basta a data se aproximar que já começam as especulações: qual será o tema da redação?

Baseado em estatísticas do início do ano e na quantidade de postagens sobre determinados assuntos nas redes sociais, o Portal Nacional de Educação (PNE) listou alguns possíveis temas. “O objetivo é facilitar a leitura e pesquisa de maneira mais central e técnica para os alunos. Nós acertamos a temática da redação das últimas três edições do Enem”, diz Pedro Henrique Fernandes, editor-chefe do PNE.

Inclusive, antes da prova, a equipe do portal recomendou uma leitura que foi de suma importância. “Faltando uns 5 dias para o exame, recomendamos a leitura do Marco Civil da Internet e foi essencial para falar sobre a ‘Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet’”.

Para a professora de português e redação Allana Matar, não existe uma “receita de bolo” para tirar nota máxima na redação, mas, é preciso ficar atento a vários fatores. “A primeira coisa é não se apegar tanto a uma lista de temas específicos porque, a partir daí, o aluno pode ser surpreendido se o assunto que ele precisar escrever não tiver nada a ver com o que estudou. É interessante que ele tenha uma leitura ampla, que esteja a par de grandes noticiários e veículos com credibilidade”.

Algumas temáticas merecem uma atenção maior. “Política, economia, cultura, sociedade e meio ambiente, especialmente com um recorte mais nacional, que é previsto na prova do Enem. O aluno pode observar assuntos que têm sido discutidos na sociedade, mas sem deixar de lado temas que, mesmo não tendo tanto destaque, são atuais, como mobilidade urbana, por exemplo”.

Além de se inteirar sobre temas atuais e ter um conhecimento de mundo ampliado, é importante saber fazer um bom texto. “A primeira dica é criar o hábito de escrever com regularidade, ter a redação corrigida, os erros apontados e, a partir daí, buscar melhorar. O candidato também pode fazer um projeto de texto e pensar bem no corpo da redação antes de colocá-lo em prática”.


Para criar o texto dissertativo/argumentativo, ou seja, que mescla opinião com apresentação de fatos, como é pedido no Enem, é preciso fazer um levantamento de ideias. “Pensar em qual tese vai defender, qual vai ser a estrutura da escrita e como vai desenvolver isso nos parágrafos e, principalmente, se tem boa intervenção para o tema discutido”.

Escrever de forma lógica também é um ponto essencial. “É preciso ver se os parágrafos estão bem conectados e coerentes. A gente consegue verificar na internet várias dicas, mas os alunos que tiram 1.000 nas redações são inequívocos em dizer que é a prática que leva à perfeição”.

Um exemplo de quem tirou 1.000 na redação é a estudante de medicina Maria Luisa Pérez. “O meu terceiro ano do ensino médio foi focado na preparação do Enem. Além de apostilas de exercício, fazia pelo menos duas redações por semana. O modelo de texto é muito rígido, mas, quando fui fazer a prova, estava familiarizada”.
Ela fez o texto por etapas. “Me surpreendi com o tema ‘Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet’, porque achei bem específico. Porém, identifiquei exemplos e relações que poderiam ser feitas e escrevi como já estava acostumada, mas confesso que tive dificuldade na hora da conclusão. O hábito de escrever o modelo dissertativo/argumentativo foi importante nesse momento. Fiz o Enem para cursar medicina na UFMG e consegui. A minha nota na redação foi de grande ajuda para isso”, afirma.

Já a relações públicas Paloma Letícia Melo, que também tirou 1.000 na redação, não se surpreendeu com o tema “O indivíduo frente à ética nacional” de 2009, ano em que fez o Enem. “Trata-se de um assunto relevante e me preparei buscando dicas de como escrever melhor, normas gramaticais e construção de um texto dissertativo/argumentativo. Sempre tive facilidade para desenvolver textos, mas a experiência de elaborar a redação do Enem foi desafiadora”.

Ela sabia que seu futuro acadêmico dependia do resultado. “Além disso, o tempo para fazer o exame é outro desafio, sendo assim é necessário pensar e dissertar a redação, pois ainda têm as outras questões. Considerando minha facilidade foquei na redação, fiz o restante da prova e, em seguida, passei a limpo o texto fazendo as alterações necessárias”.

Estudando, em média, 3h por dia, seu objetivo foi alcançado. “Queria uma bolsa do ProUni para o curso de Comunicação Social na PUC Minas e consegui”.

Atenção!
Para não zerar a redação, Allana também dá algumas dicas. “O texto precisa ser dissertativo/argumentativo. Então, o candidato não pode, por exemplo, fazer um relato ou texto narrativo. O aluno não pode escrever menos de 7 linhas, além disso, é preciso evitar brincadeiras e desenhos. Isso, infelizmente, acontece”.

Ela acrescenta ainda que é preciso cuidado para não fugir do tema, não escrever na primeira pessoa do singular, não usar metáforas, sentido figurado ou conotações, visto que o texto argumentativo/dissertativo exige uma linguagem mais denotativa e literal.

Por fim, Allana afirma que devem ser evitadas expressões informais. “O aluno tem que elaborar uma boa redação, defendendo sua opinião e problematizando o assunto”, conclui.

Nat Macedo
Belo-horizontina, 22 anos. Graduanda em jornalismo pelo Centro Universitário Estácio de Sá, fez cursos de Consultoria de Imagem e Design de Moda. Há 3 anos criou um blog voltado para o público feminino. Interessada em assuntos relacionados à minoria, gosta de dar visibilidade as pequenas causas voltadas a inclusão e empoderamento destes nichos.