Home > Cidades > Em BH: festival “Grito das Mina” exalta empoderamento feminino

Em BH: festival “Grito das Mina” exalta empoderamento feminino

Com o objetivo de exaltar o empoderamento feminino, o “Grito das Mina” acontece no dia 2 de novembro, a partir das 17h, no espaço Lab.BH, na capital mineira. O momento conta com diversas atrações musicais, além de uma feira com produtos feitos por artesãs da cidade como doces gourmets, colares energéticos, óleos essências, mandalas, filtro dos sonhos, bolsas neon e de couro.

A produtora cultural Larissa Vaz, idealizadora do evento, explica que a noite será de celebração sem exclusão. “A ideia nasceu do pensamento que a mulher sabe e pode fazer o que quiser. Precisamos continuar nos unindo a fim de reforçar a certeza de que temos direitos garantidos na sociedade e merece mais respeito”.

Os artistas convidados foram pensados a fim de se conectar com o tema proposto. A banda “Projeto Capitu”, composto pela cantora e compositora Graziê em parceria com o produtor musical e compositor Arthur Leonel e com o videomaker Randy Vieira, por exemplo, já gravou uma websérie retratando os tabus e contradições existentes no universo feminino.

O grupo de rap Natty Groove Selecta, formado há 5 anos, tem no repertório a mistura de linhas arrojadas de baixo e o clássico som da escaleta, além do hip hop, que reforça o estilo de beats fortes e dançantes. “Eles tiveram atenção e delicadeza com o nosso evento, além disso, é importante incluir homens que entendam a importância da luta feminina”.

Nos intervalos, o público será animado pela DJ Kingdom, que traz em seu set a celebração do poder feminino. “Ela é influente na capital e exalta as mulheres em seus shows. Fora isso, é percussora em algumas festas urbanas que promovem o empoderamento feminino”.

Por fim, a atração mais aguardada da noite é a cantora Marina Peralta, que traz composições que ressaltam o empoderamento da mulher e a força do povo. “Ela é versátil e completa, apesar de ter influências no samba e na MPB, hoje toca reggae e tem o ritmo como sua principal ferramenta de comunicação e luta. Marina canta pelas mulheres, negros, indígenas e todas as minorias”, explica Larissa.
A produtora diz que o evento é aberto a todos que respeitam a luta feminina. “Será uma noite de inclusão, solidariedade e respeito. Queremos que as pessoas deixem que o ‘Grito das Mina’ ecoe alto”.

Nat Macedo
Belo-horizontina, 22 anos. Graduanda em jornalismo pelo Centro Universitário Estácio de Sá, fez cursos de Consultoria de Imagem e Design de Moda. Há 3 anos criou um blog voltado para o público feminino. Interessada em assuntos relacionados à minoria, gosta de dar visibilidade as pequenas causas voltadas a inclusão e empoderamento destes nichos.