Home > Economia > Mercado de streaming segue em expansão no país e no mundo

Mercado de streaming segue em expansão no país e no mundo

crédito - Divulgação/Netflix

Conveniência. Essa parece ser a palavra de ordem para o consumo atualmente. Cada vez mais as pessoas têm buscado formas de investir seu dinheiro em serviços que se adequem à acelerada rotina. Por isso, o mercado de streaming de filmes e séries tem crescido no Brasil e no mundo. Atualmente, somos o 6° país que mais consome esse tipo de plataforma.

A expansão dos streamings tem sido tão rápida que, para este ano, segundo um estudo da Amperer Analysis, eles irão faturar mais que as bilheterias de cinema em todo o mundo. Empresas como Netflix, Amazon Prime Video e HBO Go projetam arrecadar US$ 46 bilhões (R$ 180 bilhões), contra US$ 40 bilhões (R$ 156 bilhões) dos cinemas.

O segmento tem sido um potencial concorrente da TV por assinatura. Dados colhidos pelo Ibope Conecta e Omelete Group mostraram que 76% das pessoas escolhem o streaming pelo preço e que o consumo da TV fechada diminuiu de cerca de 5% em 2017 – quando as plataformas se tornaram mundialmente conhecidas.

O crescimento também tem alertado gigantes da TV e do mercado da tecnologia que estão se adequando a essa nova demanda e lançando seus próprios streamings. Atualmente, os principais são a Netflix, Amazon, HBO e Globo. Agora, a Apple e a Disney entraram no páreo e lançaram suas plataformas.

Para o professor de marketing digital e mobile marketing da Faculdade Impacta de Tecnologia, Aleksey Stivanin, desde o surgimento da internet, as pessoas têm buscado conteúdos que as interessam. “Um exemplo foram os downloads de músicas, álbuns, vídeos, baixar CDs, DVDs e torrents. A chegada de uma tecnologia que permita a reprodução sem ter a necessidade de fazer o download é que foi uma novidade”.

Essa expansão tecnológica permitiu com que os conteúdos fossem organizados em diversas interfaces divididas por segmento: games, audiovisual, músicas e cursos, permitindo o acesso a qualquer hora e local. “Essa procura vem aumentando por conta da união da tecnologia, conveniência e variedade”.

Para ele, muitos players ainda vão surgir. “O serviço de streaming por assinatura como a Netflix conta com mais de 8 milhões de assinantes, no Brasil, sendo o terceiro maior mercado da empresa”.

O aumento de concorrentes, inclusive, é um sinal de que o mercado continuará positivo. “Nesse meio, a concorrência se dá menos pela tecnologia aplicada e mais pelo conteúdo e experiência do usuário. A criatividade é a chave para o sucesso”, conclui.

Nat Macedo
Belo-horizontina, 22 anos. Graduanda em jornalismo pelo Centro Universitário Estácio de Sá, fez cursos de Consultoria de Imagem e Design de Moda. Há 3 anos criou um blog voltado para o público feminino. Interessada em assuntos relacionados à minoria, gosta de dar visibilidade as pequenas causas voltadas a inclusão e empoderamento destes nichos.