Home > Economia > Em BH, 87% dos consumidores compram em lojas de bairro ou da vizinhança

Em BH, 87% dos consumidores compram em lojas de bairro ou da vizinhança

Crédito: Pixabay

Seja pela comodidade ou por ter um preço melhor, o fato é que os belo-horizontinos estão optando por comprar produtos perto de onde moram. É o que mostra a pesquisa Escolha do Local de Compras, elaborada pela Fecomércio MG. De acordo com o estudo, 87,2%* dos consumidores da capital mineira utilizam as lojas do bairro ou da vizinhança para adquirir bens e serviços, sendo que 53,2% sempre compram no local. Já para 56,4%, o hipercentro é a opção e os shoppings centers atendem 51,3% dos entrevistados.

Entre as mulheres, 56,1% têm o costume de comprar com frequência no bairro/vizinhança e, para os homens, esse percentual é de 49,6%. Já em relação à faixa etária, pessoas de 60 anos ou mais são as que compram perto de casa (72,9%) e os consumidores de 25 a 34 anos, assim como os acima de 45 vão a esses locais com mais de 50% de frequência.

A alimentação é o segmento mais adquirido (23,5%); seguido por roupas, calçados e acessórios (10,9%); eletrônicos (1,9%) e outros (1,6%). E os principais motivos que levam a optar por comércios vizinhos são localização e fácil acesso (88,2%); comodidade (7%); preço mais baixo (6,6%); maior variedade de produtos (1,8%); entre outros.

O economista-chefe da Fecomércio MG, Guilherme Almeida, afirma que as pessoas buscam, cada vez mais, preço e comodidade. “Essa é uma característica mundial e explica, inclusive, a ascensão do e-commerce. Os consumidores, em seu hábito de consumo, sempre buscam otimizar o valor pago em bens e serviços, adquirindo-os em locais de fácil acesso e que não há maiores custos de deslocamento e é justamente por isso que eles estão optando por locais perto de onde moram”.

Fator trânsito 

Outra pesquisa da Fecomércio, realizada neste ano, chamada Mobilidade Urbana,  aponta que o estacionamento é um fator determinante para escolher ou não o local da compra. Para 50,2% da população de Belo Horizonte, um local seguro para parar o carro influencia muito a decisão pela escolha da loja. “Esse ponto confirma a tendência verificada pela análise sobre locais de compra: o consumidor tem buscado cada dia mais, por bons preços, mas também por comodidade”.

Outro fator apontado pela preferência por locais próximos é a economia de tempo e dinheiro. “Quando o consumidor opta por ir ao Centro comprar algo sabe que, necessariamente, irá gastar mais tempo para chegar e dinheiro também, seja a gasolina do carro ou preço da passagem. E esses fatores podem ser negativos para o varejo”.

E é justamente por isso que a dona de casa Luzia Gomes opta por comprar nos comércios próximos à sua casa. “Na rua principal do meu bairro tem vários supermercados, açougues, lojas de R$ 1,99, sacolão, entre outros e a maioria entrega as compras em casa. Outro motivo é o preço, pois não vejo diferença nos valores se comparado com as lojas centrais ou do shopping. Pelo contrário, acho que algumas coisas são mais baratas”.