Home > Destaques > Conheça o spinning, modalidade aeróbica feita em cima de uma bike estacionária

Conheça o spinning, modalidade aeróbica feita em cima de uma bike estacionária

Já se imaginou pedalando por terrenos planos e também por montanhas sem nem sair do lugar? Pois é, essa a proposta do spinning, modalidade aeróbica que é feita em sala de aula e em cima de uma bicicleta estacionária. A atividade promete suar a camisa de seus praticantes e é considerada democrática por especialistas,pois com liberação médica, qualquer um pode fazer independentemente da idade.

A professora de spinning da Bodytech Ponteio, Fabiane Machado, diz que a aula é muito animada e isso é um diferencial. “A gente utiliza música para deixar a prática mais motivante e fazemos a simulação de terrenos de ciclismos, como montanhas e terra plana, para a pessoa ter uma experiência real, como se estivesse fora da sala”.

Ela adiciona que a modalidade traz incontáveis benefícios ao corpo. “Ajuda na queima de calorias, reduz o colesterol, fortalece os músculos de membros inferiores, reforça o sistema cardiovascular e respiratório, diminui a pressão arterial, melhora a distribuição sanguínea, tonifica pernas e glúteos, tem baixa possibilidade de lesão, além de aumentar os níveis de serotonina do corpo, o que traz uma sensação de bem estar”.

A prática não tem nenhuma contraindicação, mas Fabiane reforça que a pessoa deve fazer uma avaliação física e consultar um médico antes de começar as aulas. “Isso vale para qualquer modalidade. No caso do spinning, o principal requisito é estar com boa saúde. Não existe idade mínima também, pode ser feito por qualquer pessoa, desde que a bike esteja ajustada de acordo com quem a está usando”.

Saindo do sedentarismo
A proposta do spinning atraiu a secretária executiva Luana Ambrogi. Ela buscava uma modalidade para introduzir a atividade física em sua vida, quando uma amiga indicou as aulas. “Ela disse que era muito animado e que eu ia adorar, pois não é algo que faz a gente cair na rotina. No começo pensei que seria muito puxado, mas o professor foi muito atencioso e ritmo era de acordo com o que eu conseguia”.

Agora, com quase 1 ano praticando, ela não pretende parar tão cedo. “Depois de uns dois meses eu já conseguia notar a diferença. Minha energia era outra e meu ânimo também. Além disso, meu apetite mudou, meu sono está mais regulado. Uma coisa que me incomodava muito era o fato de eu ter muita crise de enxaqueca, isso também diminuiu consideravelmente”.

A especialista adiciona que, de fato, é comum uma pessoa sedentária optar pelo spinning como primeiro contato com a atividade física. “É uma atividade grupal, com música, divertida. E acaba auxiliando para que ela permaneça na academia. A modalidade tem momentos de diversão, socialização, tudo isso respeitando o limite do iniciante e de cada pessoa que está ali praticando”.

Para quem já pratica há algum tempo, a dica é aliar o spinning com outras práticas. “Isso para que aconteça um equilíbrio. Se a pessoa faz a musculação junto, ela vai ter um resultado balanceado e melhor. O ideal é mesclar a modalidade com outra, de preferência musculação”, acrescenta Fabiane.

Nat Macedo
Belo-horizontina, 22 anos. Graduanda em jornalismo pelo Centro Universitário Estácio de Sá, fez cursos de Consultoria de Imagem e Design de Moda. Há 3 anos criou um blog voltado para o público feminino. Interessada em assuntos relacionados à minoria, gosta de dar visibilidade as pequenas causas voltadas a inclusão e empoderamento destes nichos.