Home > Colunas > Quem sabe, sabe

Quem sabe, sabe

José Carvalho, presidente da Lagoa Silvana, vereadora Cassinha Carvalho, empresário Roberto Gontijo e o jornalista Carlos Souto, na Confraria do Fogão a Lenha em homenagem aos 22 Anos do Programa Alterosa Esporte.

Ministério do Turismo apresenta projeto de um Trem turístico para Brumadinho

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, apresentou aos diretores de Relações Governamentais e Internacionais da mineradora Vale, Luiz Ricardo Medeiros e Antônio Lannes, o projeto de um trem turístico entre a capital mineira, Belo Horizonte, e a cidade de Brumadinho. Marcelo Álvaro disse que o trem poderá transportar até 1.400 passageiros por viagem, desenvolvendo o setor e a economia local com o surgimento de novos serviços e demais atividades ligadas ao turismo. Os representantes da Vale reforçaram o apoio e a parceria com o Ministério para a execução de projetos que ajudem a reestruturar a cidade após o rompimento da mina. O destino turístico abriga, entre atrativos naturais e culturais, o Museu Inhotim. O espaço cultural fica inserido em um jardim botânico e é considerado a maior exposição de arte moderna e contemporânea a céu aberto do mundo. O local recebia até três mil visitantes por dia antes do rompimento da barragem da mina do Córrego do Feijão, ocorrida no dia 25 de janeiro deste ano. (Fonte: turismo.gov.br)

Donos de bares pedem mais transparência sobre lei que regula música ao vivo

Representantes do segmento de bares e restaurantes participaram de uma audiência na Comissão Especial de Estudos da Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH), que visa analisar mudanças no Código de Postura da cidade, mais transparência e orientação aos comerciantes no que se refere à poluição sonora. Segundo o consultor do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (Sindhorb), Rodrigo Baiano, a prefeitura tem aplicado multas elevadas antes mesmo de fazer alguma notificação, como estabelece a lei. As multas variam de R$ 900 a R$ 4.800. Na avenida Fleming foram fechados cinco estabelecimentos somente este ano. Outras cinco audiências públicas já estão marcadas para ocorrer nos dias 13, 16, 19 e 26 de agosto. A previsão é de que quinze audiências sejam realizadas no total e que a comissão termine os trabalhos até o fim do ano. Criado há 16 anos, o Código de Posturas estabelece a regulamentação para o uso do espaço público em Belo Horizonte.

Canal Aberto

População mineira aprova administração de Romeu Zema. Grande parte da população de Minas Gerais aprova a administração do governador do estado, Romeu Zema (Novo). De acordo com a Pesquisa de Opinião Pública, elaborada pelo Instituto Paraná Pesquisas, 61,6% estão satisfeitos com a gestão atual, enquanto 32,7% desaprovam. A parcela que vê como positivo o mandato de Zema forma 42,3%, sendo que 35,1% a declararam como boa e 7,2% como ótima. Os que apresentaram opiniões negativas representam 22,4%, divididos em 12,5% ruim e 9,9% péssima.

Concessão é a esperança para o retorno das atividades ao Aeroporto da Pampulha. Proibido de receber voos de grande porte e com grande prejuízo, a esperança para que o Aeroporto da Pampulha volte a funcionar vem da notícia de que o governo federal prepara uma dobradinha de concessões, envolvendo o terminal de Belo Horizonte e Confins, administrado pela BH Airport. De acordo com o Ministério da Infraestrutura, a intenção é de que o terminal da Pampulha integre a 7ª Rodada de concessões, que deve ter início em 2020, com o Processo de Manifestação de Interesse para realização dos Estudos de Viabilidade. Desde 2006, o aeroporto só pode receber voos comerciais com aviões de até 70 passageiros. Na época, a medida foi tomada visando a transferência de voos para Confins.

Anatel mostra redução no número de assinantes de TV a cabo. Conforme relatório publicado, recentemente, pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o número de assinantes de TV a cabo continua a diminuir no Brasil. O país fechou o mês de junho com 16,82 milhões de assinantes de TV a cabo, 1,4 milhão a menos do que no mesmo período do ano passado, o que significou uma queda de 6,7%. A questão dos altos valores das mensalidades, aliada à uma maior gama de entretenimento via streaming e outras mídias, está fazendo com que um número maior de pessoas cancele seus serviços de televisão por assinatura. É o momento de as operadoras reverem a política de preços dos pacotes para recuperar as vendas.