Home > Política > Começa a corrida pela sucessão em diversos municípios mineiros

Começa a corrida pela sucessão em diversos municípios mineiros

Crédito: Divulgação

Como previsto, as pedras do tabuleiro sobre a sucessão dos municípios começam a mudar de posição. Talvez por conta da necessidade de arrumação partidária.

Em Lagoa Santa, por exemplo, o abastado empresário e produtor rural Genesco Aparecido Filho, ex-prefeito por vários mandatos, está firme na intenção de disputar o pleito com o atual chefe do Executivo municipal, Rogério Avelar (PPS). Aliás, os amigos de Filho argumentam que ele nunca perdeu uma eleição local.

Já em Nova Lima, a situação é atípica. O atual prefeito Vitor Penido (DEM) é um político reconhecido por seu prestígio: ex-deputado federal, estadual e ex-secretário de Estado, Penido mantinha a prefeitura em ordem, mas, com os problemas relacionadas à desativação da mineração, o prefeito entrou numa espécie de areia movediça. E como exerce seu segundo mandato, ele não pode participar formalmente do embate político. Aliás, não se sabe se, à esta altura, Penido seria capaz de influenciar na eleição de alguém de seu grupo político.

Em evidência devido ao desabamento da barragem da Vale, o tema político em Brumadinho está proibido. O prefeito Avimar Barcellos, o Nenen da Asa (PV), não sabe qual será o seu próprio destino. Segundo pessoas próximas, o chefe do Executivo está completamente incrédulo em relação a vida pública.

Na histórica Mariana, segundo fontes, o ex-prefeito Celso Cota já não estaria tão reticente em debater o assunto eleição. Ou seja, ele pode aceitar a possibilidade de enfrentar o atual grupo dominante do município. Cota foi prefeito por duas vezes e, ainda, mantém uma notória popularidade na cidade.

Em Coronel Fabriciano, os bastidores da política estão superaquecidos. A oposição ao prefeito Marcos Vinícius (PSDB) tem sido tenaz. Os petistas não deixam de criticá-lo por um único dia sequer. Por lá, a marca da oposição tem nome: Marcos da Luz. No entanto, é bem provável que o ex-prefeito Chico Simões, também petista, seja o escolhido para enfrentar o pleito.

Relativamente à Ipatinga, de acordo com os comentários entres os membros do MDB estadual, quem pode aceitar voltar à cena política é o ex-prefeito Sebastião Quintão.

Em Brasília, na última sessão plenária da Câmara, o deputado Marcelo de Freitas (PSL), cuja base eleitoral é Montes Claros, disse a amigos que não pretende deixar seu trabalho na Comissão de Justiça para disputar com Humberto Souto (PPS) pela sucessão da prefeitura. A posição do deputado não é definitiva, porém sua suposta fala pode refletir a realidade: Souto goza de uma imensa popularidade, especialmente junto ao público formador de opinião e isso, certamente, dificulta a pretensão dos concorrentes.