Home > Colunas > Brasil vence Argentina e reencontra a final da Copa América após 12 anos

Brasil vence Argentina e reencontra a final da Copa América após 12 anos

Lucas Figueiredo/CBF

Belo Horizonte se transformou, no dia 02 de julho de 2019, na capital mundial do futebol. Num dos maiores clássicos do nosso planeta, a seleção brasileira espantou qualquer fantasma da fatídica semifinal contra os alemães na Copa do Mundo de 2014. O Brasil venceu a Argentina por 2 a 0 e assiste de camarote qual será seu adversário na final da Copa América 2019. Gabriel Jesus e Roberto Firmino fizeram os gols que levaram a equipe brasileira à decisão da competição continental após 12 anos.

A partida semifinal no Mineirão lotado e colorido de verde amarelo fez os brasileiros esquecerem o vexame de 2014 e voltarem a sorrir no Gigante da Pampulha. Com a vitória brasileira, o time do craque Lionel Messi amargou mais um ano sem títulos na categoria profissional.

O time selecionado por Tite demonstrou raça, obediência tática e partiu para cima dos argentinos logo no início. As chances foram aparecendo até que Daniel Alves, em ótima jogada, tocou para Firmino que, com um toque genial, achou Gabriel Jesus na pequena área e abriu o placar aos 18 minutos do 1º tempo.

A partida tornou-se muito disputada pela rivalidade histórica, com os hermanos cometendo faltas duras contra os jogadores brasileiros. Alisson ainda foi exigido mais algumas vezes, mas a defesa brasileira se portou bem.
Já na etapa final, os argentinos foram com tudo pra cima do Brasil e a seleção de Tite passou por momentos difíceis na partida. O craque Messi, que foi bem marcado pela defesa brasileira, até então discreto na partida, acertou uma bola na trave e ainda exigiu grande defesa do goleiro brasileiro em cobrança de falta.

Destaque para Gabriel Jesus. O atacante, em uma das suas melhores atuações com a camisa da seleção canarinho, desta vez, arrancou em velocidade, deixou a zaga argentina para trás e tocou para Firmino ampliar, aos 25 minutos.
Além do grande público presente no estádio da Pampulha, com mais de 52 mil torcedores e uma renda de R$ 18.744.445,00, tivemos ainda o encontro dos Três Poderes da República nesta grande partida. O Poder Judiciário, representado pelo seu presidente e desembargador Nelson Missias de Morais. Já o Legislativo contou com a presença do presidente da Assembleia de Minas, deputado Agostinho Patrus (PV) e, por fim, o Executivo teve como destaque o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), Governador de Minas, Romeu Zema (Novo), e o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), que foi ovacionado por grande parte dos torcedores aos gritos de “mito”.

Após o apito final do árbitro Roddy Zambrano, a seleção brasileira voltou a dar alegria e esperança aos seus torcedores. Longe de ser uma unanimidade, Tite armou bem sua equipe. Uma defesa segura, o ataque funcionando bem e um Daniel Alves em noite inspirada trouxeram um pouco mais de tranquilidade ao técnico brasileiro que estava pressionado desde o início da Copa América.

Gostaria de registrar aqui minha humilde e sincera impressão. Não é que a ausência de Neymar tem sido positiva para o time brasileiro! Essas últimas polêmicas envolvendo o craque do PSG não estavam fazendo bem ao Brasil. Inegável é a sua qualidade, mas a seleção provou que pode render muito mais sem o camisa 10 brasileiro. O Brasil está de novo na final da Copa América, desta vez, em casa, no Maracanã. Será o primeiro jogo de Tite como técnico da seleção neste estádio. E como sempre diz nosso amigo e ilustre jornalista da Rádio Itatiaia, Wellington Campos: “Vai Brasil, que a nossa fé te empurra!”.