Home > Destaques > Em casos graves, febre maculosa tem taxa de mortalidade superior a 50%

Em casos graves, febre maculosa tem taxa de mortalidade superior a 50%

Crédito: Adelcio R. Barbosa

Nesta semana, os moradores da região metropolitana de Belo Horizonte, principalmente quem reside em Contagem, se assustaram com a possibilidade de um surto de febre maculosa. Uma doença que, segundo a infectologista Cláudia Murta, tem uma grande mortalidade e, sem tratamento, a taxa é superior a 50%”.

Por ter sintomas parecidos com a dengue, como febre alta, dor no corpo e de cabeça, ausência de apetite, desânimo e aparecer pequenas manchas avermelhadas, a melhor forma de diagnosticar a doença é avaliando o histórico, alerta a infectologista. “É possível detectar a febre maculosa por meio de um exame de sangue, porém o resultado demora para sair. Por isso, é importante que o paciente conte se foi picado por um carrapato e por onde andou”.

De acordo com a infectologista, o diagnóstico deve ser precoce, pois isso facilita o tratamento. “A maioria dos casos são leves e podem ser tratados sem internação, entretanto, há alguns que precisam de medicamentos”.

Cláudia diz ainda que a febre maculosa pode aparecer em qualquer época do ano, mas em alguns momentos pode ser mais frequente. “Para evitar a doença é recomendado não ter contato com o carrapato e não ir em locais onde há proliferação desse animal. Caso não seja possível evitar esses lugares, deve-se ir com uma vestimenta adequada, com botas de cano alto e usar repelentes. Quando chegar em casa, tome banho e examine cuidadosamente para ver se há ou não algum carrapato pelo corpo”.

Três mortes

A febre maculosa é uma doença transmitida pelo carrapato-estrela ou micuim e ele pode ser encontrado em animais de grande porte, como bois, cavalos, etc ou ainda em cães, aves domésticas, roedores e, especialmente, nas capivaras, o maior de todos os reservatórios naturais.

Em Contagem, os casos aconteceram na Vila Boa Vista, regional Nacional e divisa com a região da Pampulha. Três mortes foram confirmadas e mais uma está sendo investigadas, sendo que essas pessoas eram da mesma família. Além disso, outras 33 estão com os mesmos sintomas da doença.

Segundo a Prefeitura de Contagem, a procura por atendimento aconteceu depois do dia 22 de maio, quando os membros de uma família se uniram para capinar e cercar um terreno. Quando procuraram o médico, eles relatam que foram picados por carrapatos.

 

Medidas de combate

Para tentar combater uma infestação de carrapatos, a Prefeitura de Contagem realizou algumas ações como a limpeza de toda a área onde foram encontrados os focos e o recolhimento de animais para receberem banhos de carrapaticida e a instalação de placas e faixas no local para evitar que novas pessoas entrem lá. Além disso, funcionários da Secretaria de Saúde estão pulverizando remédios na região e nas casas próximas, já a Defesa Civil está monitorando as capivaras.

“Ainda não há casos fora da Vila Boa Vista, mas as medidas estão sendo tomadas para evitar que isso se espalhe. Essas ações devem durar aproximadamente 60 dias ou se estender se houver um novo caso. Ademais, também está previsto o monitoramento e a captura das capivaras para receberem banho de carrapaticida e serem castradas”, finaliza o veterinário da Prefeitura de Contagem e um dos coordenadores das ações, José Renato de Rezende.