Home > Destaques > PSD visa lançar candidaturas próprias nas principais cidades de Minas Gerais

PSD visa lançar candidaturas próprias nas principais cidades de Minas Gerais

Crédito - Divulgação

O PSD tem ganhado cada vez mais força no estado. Recentemente, o prefeito Alexandre Kalil aceitou o convite do presidente nacional da sigla, Gilberto Kassab, para se filiar ao partido. Em janeiro deste ano, a legenda se tornou a segunda maior bancada no Senado e na Assembleia Legislativa com a filiação do senador Carlos Viana e dos deputados Osvaldo Lopes, Zé Reis e Rafael Martins.

O deputado federal Diego Andrade, que pertence à legenda e é líder da bancada mineira em Brasília, falou ao Edição do Brasil sobre as perspectivas e planejamentos para os próximos meses. “Atualmente o PSD possui quase 40 deputados eleitos e é um dos maiores do país. Nós entendemos que política se faz com as pessoas e, por isso, tentamos trazer nomes qualificados para agregar o grupo”.

Nas últimas eleições, o partido teve relevância e, na observação do deputado, não será diferente no pleito de 2020. “A tendência é que a gente se fortaleça mais. A redução dos números de partidos ajudou bastante nisso, não existem mais ideologias. Agora poderemos lançar candidaturas próprias nas principais cidades mineiras”.

Uma dessas candidaturas será a do prefeito de BH, Alexandre Kalil, que foi cogitado também como futuro presidente estadual da legenda. Andrade não afirma a hipótese. “O PSD é um partido que tem regras claras entre seus membros, então, quem quer que esteja à frente vai contribuir. Por isso, é natural que os coligados façam rodízio e o Kalil é muito qualificado”.

O currículo do atual prefeito da capital mineira agrada. “Ele tem excelente aprovação, pessoalmente, gosto muito dele, terei o maior prazer em tê-lo como colega de partido e, eventualmente, presidente da sigla. A reeleição na PBH será trabalhada pelo partido e, juntos, lutaremos em favor do estado. O primeiro passo será dado dia 14, quando Kalil, oficialmente, será filiado”.

E, para cumprir a ideia de fazer Minas Gerais fluir, Andrade tenta ao máximo manter os deputados em união. “Os eleitores não votam em siglas partidárias, mas em pessoas. Temos 53 deputados mineiros e nosso estado precisa ser a prioridade, independente da ideologia”.

Demandas

Andrade explica como as questões de Minas estão sendo trabalhadas. “Fizemos um levantamento das principais obras paradas no estado a fim de compreender as demandas. Organizamos um documento chamado Pacto por Minas e estamos nos reunindo para fazer os projetos avançarem. Temos um encontro marcado com o ministro Paulo Guedes e a ideia é chegar ao presidente”.

Para que tudo seja passado com sua real necessidade, técnicos sempre acompanham as reuniões. “E, assim, os sonhados projetos vão tomando forma. Entendemos que, hoje, sem as reformas não é possível seguir. É necessário que o país passe por esse momento, com a responsabilidade de proteger os mais pobres, mas cortando privilégios. Esse é o caminho”.

Esse processo de cobranças já gera frutos. “Atualmente, conseguimos a entrega de 620 viaturas para Minas Gerais. Isso é importante porque poupa gastos para o governo. Além disso, conseguimos, por meio do empenho de toda a bancada, o montante de R$ 47 milhões para a saúde, aos quais R$ 16 milhões serão para os hospitais da capital”.

E o deputado afirma que isso é apenas o começo. “Ainda temos muito o que avançar, mas essas pautas estão entrando no eixo. Assim como a reforma da BR 381 e o desejado metrô do Barreiro. O parlamento não tem o poder de executar, mas cabe a ele cobrar e estamos dando o nosso máximo na esperança de que o estado viva dias melhores”, conclui.