Home > Destaques > Dois ex-prefeitos podem voltar às prefeituras no Vale do Aço

Dois ex-prefeitos podem voltar às prefeituras no Vale do Aço

Crédito: Divulgação

Em junho termina o prazo de filiação para quem almeja disputar o pleito municipal de 2020, já que segundo a lei eleitoral, o candidato precisa estar inscrito no partido um ano antes do pleito.

E o clima começa a esquentar no Vale do Aço. Em Ipatinga, por exemplo, já circula informações de que o ex-prefeito Sebastião Quintão (MDB), 78, estaria disposto a enfrentar as urnas mais uma vez. E, em sondagens, o seu nome tem sido bem avaliado. Com isso, o atual prefeito Nardyello Rocha (MDB) teria um adversário à sua altura.

No que diz respeito a Coronel Fabriciano, só se sabe da pretensão do atual prefeito Marcos Vinícius (PSDB) em buscar a reeleição. Aliás, sua administração tem sido alvo de críticas contundentes por parte da oposição, liderada pelo vereador e ex-presidente da Câmara Municipal Marcos da Luz (PT). Tido como um parlamentar de reconhecida qualidade, Marcos pode ser um opositor ao prefeito durante a eleição. No entanto, seria importante saber qual vai ser a posição do Partido dos Trabalhadores em 2020. Afinal, o ex-prefeito Chico Simões é o maior cacique da sigla no município e, se resolver colocar seu nome para análise, tem grandes chances de voltar ao poder. Ainda no âmbito petista, tem também a ex-prefeita Rosângela Mendes.

Na capital mineira

Os nomes lembrados para disputar à Prefeitura de Belo Horizonte continuam os mesmos, uma vez que o prefeito Alexandre Kalil (PSD) goza de superpopularidade. Inclusive, essa realidade estaria inibindo o surgimento de outros candidatos ao cargo. Entretanto, o tema não está fora das discussões. Consta nos bastidores que o ex-prefeito Marcio Lacerda tem buscando convencer sua esposa Regina Lacerda a apoiá-lo na empreitada. E, caso ele não tenha o apoio da família, provavelmente se aposentará da vida pública de vez.

Já o deputado estadual João Vitor Xavier que, recentemente, abandonou o PSDB estaria se articulando com nomes ligados ao mundo do futebol para participarem de sua possível chapa na eleição.

Outros municípios

Os nomes do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, Sebastião Helvécio, do deputado estadual Noraldino Junior (PSC) e da Margarida Salomão (PT) fazem parte de uma extensa lista de pré-candidatos quando o tema é a eleição em Juiz de Fora. O prefeito Antônio Almas (PSDB) tem evitado falar sobre o assunto e vem preferindo focar na sua administração, mas certamente ele deverá caminhar para o embate eleitoral.

Em Montes Claros, o o burburinho sobre a eleição já começa a crescer  na porta do Café Galo, ponto de encontro no Centro da cidade. De acordo com os comentários, o prefeito Humberto Souto (PPS) estaria realizado um volume de pequenas obras. São melhorias populares, isso quer dizer que ele poderá pleitear mais um mandato junto ao eleitorado. No momento, o único nome falado para contrapor o de Souto é o do deputado federal Marcelo de Freitas (PSL), que por sinal, é do mesmo partido do presidente Jair Bolsonaro.

No terceiro maior colégio eleitoral de Minas, Contagem, atualmente, o prefeito Alex de Freitas politicamente não tem adversário forte. Especialmente diante de comentários indicando o afastamento da deputada petista e ex-prefeita Marília Campos por conta de dificuldades de ordem pessoal. O grupo do deputado federal Newton Cardoso Jr. (MDB) ensaia ter uma candidatura competitiva mas, por enquanto, não passa de pretensão.

Relativamente à Uberlândia, o segundo grande colégio eleitoral, permanece uma incógnita. O prefeito Odelmo Leão (PP), considerado por muitos como um político de pavio curto, não permite sequer mencionar o tema sucessão. Em alas mais distantes do chefe do Executivo, são lembrados nomes como o do deputado estadual Leonídio Bouças (MDB) e do parlamentar federal Weliton Prado (Pros), ambos, no entanto, não demonstram entusiasmo pela batalha.