Home > Colunas > Futebol: paixão e emoção!

Futebol: paixão e emoção!

Crédito: Vinnicius Silva/Cruzeiro E.C.

O Campeonato Brasileiro começou na semana passada. Até o dia 8 de dezembro os torcedores dos 20 clubes da Série A e da Série B estarão com os corações batendo a mil. A emoção e a vibração das torcidas vão movimentar os próximos 7 meses o futebol brasileiro. Este ano os jogos terão várias mudanças nas regras.
O Campeonato Brasileiro Série A 2019 terá algumas novidades para público e jogadores. Além da introdução do árbitro de vídeo (VAR), várias regras de arbitragem também serão diferentes.

Com as mudanças de regras aprovadas pela Internacional Football Association Bord e para serem implementadas no início da temporada europeia, em julho de 2019, a Comissão de Arbitragem do Brasil pediu autorização para que essas alterações fossem adotadas no início do Brasileirão e a solicitação foi atendida.

As principais modificações nas quatro divisões do Campeonato Brasileiro e nas oitavas de final da Copa do Brasil são:

Substituições
A mudança em substituições está relacionada à saída de campo do atleta. Quando um jogador for substituído, ele deve deixar o gramado pela linha mais próxima no momento. O objetivo é diminuir o tempo de bola parada durante as substituições.

Cartões para comissão técnica
Os juízes das partidas estarão livres para aplicar cartões amarelos e vermelhos para membros da comissão técnica. No caso do treinador, se ele exceder a beira do campo levara um amarelo e depois de determinado número de cartões terá de cumprir suspensão. Se a arbitragem não conseguir identificar uma pessoa da comissão técnica, quem leva a advertência é o treinador da equipe responsável.

Tiro de meta e tiro livre dentro da área
Neste Campeonato Brasileiro a necessidade de esperar a bola sair da grande área para o lance valer não existe mais. Com as mudanças da IFAB, quando um tiro de meta ou falta (a favor da defesa) for batida, o goleiro poderá passar para um companheiro ainda dentro da grande área.

Bola ao chão
Um dos pontos que mais geram discussões hoje é a bola ao chão. Geralmente após algum atendimento médico ou no fair play, a retomada da jogada estará condicionada a apenas um atleta. O árbitro colocará a bola ao chão para o último jogador que a tocou antes da paralisação. Se o lance ocorrer dentro da grande área, apenas o goleiro poderá fazer a reposição. Os demais atletas terão de ficar no mínimo, três ou quatro metros de distância da cobrança.

Interferência do árbitro
Em algumas jogadas, pelo mau posicionamento do árbitro, a bola acaba batendo nele e atrapalha o andamento da partida. Por esse motivo, a partir de agora todas as vezes que a bola bater no juiz, a partida será paralisada e recomeça com bola ao chão.

Mão na bola/Bola na mão
Este é o tópico que, talvez, gerará mais confusão durante os primeiros jogos. Com as novas regras estabelecidas a mão não intencional será considerada faltosa quando: tocar na mão ou braço acima dos ombros; o atleta aumentar a distância da mão ou do braço em relação ao corpo, de forma antinatural; lances de gol; posse de bola com a mão/braço e cria uma situação de gol. Por outro lado, quando a bola rebatida bater na mão/braço próximo ao corpo e quando o atleta cair sem estar com os braços estendidos e a bola bater nele, em ambas as situações a infração não será considerada.

Cobrança de pênalti
Se um atleta se machucar durante um lance de marcação de pênalti, ele pode ser atendido em campo antes da cobrança. Até a edição passada, o jogador só poderia receber atendimento médico após o jogo ser reiniciado.

Cara ou coroa
O vencedor do cara ou coroa poderá escolher bola ou o lado do campo. Anteriormente, somente o lado do campo era colocado como escolha, a bola ficava com o perdedor.

Vantagem em casos de cartão amarelo ou vermelho
Caso um jogador cometa uma falta com direito a cartão amarelo/vermelho e o time adversário cobre rapidamente, o juiz terá que esperar o lance seguir e, em seguida, aplicar a punição ao atleta.

Cartões após gol anulado ou lance terminado
É comum hoje os jogadores que tiram a camisa ou vão comemorar com a torcida, após marcar um gol, receberem cartão amarelo. Caso um lance desses aconteça e o gol seja anulado, a punição por cartão não será retirada. Também será aplicado cartão no lance em que um atleta pratique infração e o juiz seja avisado por outros membros da arbitragem. No reinício da partida, após o lance, será dado o cartão amarelo ou vermelho para o jogador.

Distância de barreira
Na formação da barreira, em casos de falta, a equipe adversária precisará ficar a uma distância de no mínimo um metro. Caso a determinação não seja cumprida, os jogadores serão punidos com tiro livre indireto.

Posicionamento dos goleiros no pênalti
Pequenos movimentos de goleiros costumavam ser punidos por alguns árbitros, quanto outros não se importavam. Por essa indecisão foi acordado que, a partir de agora, o goleiro pode permanecer com um pé na linha de fundo e outro mais à frente no momento da cobrança de pênalti.

Goleiros e recuo de bola
Caso um goleiro não consiga chutar a bola em lance de recuo ou arremesso lateral será permitido que ele agarre a bola com a mão. Antes das novas regras era expressamente proibido que o goleiro pegasse o recuo com as mãos.

Árbitro de vídeo
O conhecido VAR estará disponível nos 380 jogos do Campeonato Brasileiro Série A em 2019. Atualmente a CBF tem um quadro de 96 árbitros e assistentes prontos para atuar com a tecnologia. Com o objeto de interferência mínima e benefício máximo, o árbitro de vídeo pode ser usado nas seguintes situações: gol e não gol; confirmação ou anulação de pênalti; cartão vermelho direto e identificação equivocada de jogador.

O futebol vai mudando suas regras, esperamos que os jogadores não deixem sua categoria, classe e criatividade nos dribles. O futebol movimenta bilhões de reais em publicidades, jogos, vendas de jogadores e marketing. É uma potência na geração de emprego e renda.

*Jornalista
sergio51moreira@bol.com.br