Home > Destaques > 9 meses em ação: descubra os benefícios de praticar esporte durante a gravidez

9 meses em ação: descubra os benefícios de praticar esporte durante a gravidez

crédito - Divulgação

É comum associarmos gravidez a repouso e descanso, mas engana-se quem pensa que as gestantes devem ficar longe das atividades físicas. O esporte pode ser associado a rotina e, inclusive, traz inúmeros benefícios.

A personal trainer Oryana Oliveira diz que as vantagens para futuras mamães são inúmeras, como manter a capacidade cardiorrespiratória, prevenir o ganho excessivo de peso, proporcionar boa postura, reduzir câimbras, inchaço e dor lombar, melhorar a força e o controle do assoalho pélvico durante o parto, além de evitar o diabetes gestacional.

No entanto, segundo a personal trainer, menos de 20% das gestantes saudáveis praticam exercícios, quando o número poderia ser maior, já que para praticar atividades, durante a gestação, é necessário apenas a liberação médica. “É feito exames e o acompanhamento mensal do pré-natal”.

A recepcionista Renata Silva é adepta à atividade física há 8 anos e na sua gestação não foi diferente. “Faço musculação, corrida e judô. Tive que abrir mão da luta, pois o médico achou arriscado devido ao contato físico. A musculação foi acompanhada de perto pelo meu personal”.

Ao fim da gestação, ela até optou por uma atividade mais light: a hidroginástica. “Estava ficando um pouco cansada com a correria entre o trabalho e organizar tudo para a chegada do meu filho, então preferi fazer a hidro para relaxar”.

Após o parto, Renata voltou à ativa. “Fui retornando aos poucos, até porque a maternidade demanda tempo e dedicação. Hoje, já faço todas as minhas atividades, pois meu corpo e mente acostumaram e o esporte me faz sentir viva”.

Oryana garante que a prática de exercícios é segura tanto para a mãe quanto para o bebê, mas que há algumas restrições. “Se a gestante já tinha o hábito de fazer atividades físicas, poderá continuar normalmente, mas diminuindo ou suavizando os treinos. Agora se era sedentária, o ideal é que comece aos poucos e aumente a frequência gradualmente”.

É preciso uma parceria entre personal e médico. “É essencial o acompanhamento para que se tenha todo o cuidado necessário antes, durante e após a gravidez. Esses profissionais dirão qual exercício fazer, que quantidade é adequada, quanto tempo, o que observar e vários outros pontos que vão ajudar no pós-parto”.

Riscos

Apesar de todos os benefícios, praticar a atividade sem acompanhamento ou liberação médica pode acarretar riscos. Oryana alerta que a mulher deve interromper a prática se: “houver sangramento vaginal, dor no abdome ou peito, perda de líquido pela vagina, palpitações, tonturas, náuseas ou vômitos e sensação de falta de ar”.

A personal trainer informa que algumas atitudes facilitam no sucesso. “O ideal é buscar locais ventilados, evitar horários quentes, se alimentar 30 minutos antes, beber água antes, durante e depois e evitar exercícios em que a gestante fique muito tempo de barriga para cima após o 4° mês”.

O que praticar

Oryana acrescenta que a atividade aeróbica mais realizada é a caminhada. “Em seguida estão os esportes aquáticos que também diminuem os edemas. Os exercícios de força mais indicados são os pilates e musculação. Já os de relaxamento, alongamento e yoga melhoram a adaptação postural e previnem dores musculares, pélvicas e lombares”, conclui.