Home > Cidades > Buteco do Maranhão dá largada ao Botecar 2019

Buteco do Maranhão dá largada ao Botecar 2019

Crédito: Divulgação

Há 13 anos de portas abertas, o Buteco do Maranhão tem aptidão para reunir amigos e na abertura do Botecar de 2019, na noite de quarta-feira (10), não foi diferente. O boteco faz parte do time de 35 tradicionais bares da capital que participam da 6ª edição do festival, que esse ano homenageia nos sabores uma tradição secular do estado: o congado.

Valdez Maranhão, repórter fotográfico e proprietário do bar, reuniu homenagem e humor no nome do prato da Casa: “Maranhão enfumaçado”. A porção de maçã de peito ao molho de vinho com champignon e essência de fumaça vem acompanhada de pães e serve duas pessoas, por R$ 34,90.

Participante desde a 1ª edição, Maranhão mantém boas expectativas em relação à competição. “É um festival com aptidão em conquistar clientes porque abrimos as portas para novas pessoas, diferentes daquelas que já são clientes assíduos. Nosso atendimento é de primeira para que lembrem de nós e retornem a nossa casa”, diz.

Macoud Patrocínio, comerciante do ramo cervejeiro, esteve presente para degustar a porção. “É um prato diferenciado daqueles que temos visto em bares. Até na própria brincadeira da escolha das palavras ‘Maranhão enfumaçado’, que vem do alimento defumado, aquela coisa mineira que a gente gosta tanto. E a maçã de peito está fantástica, derrete na boca, que fica ainda mais saborosa com a pimenta biquinho e o molho de vinho. Agrada o mineiro!”, avaliou.

Brinde ao congado

O Botecar foi criado em 2014 e, segundo seu idealizador Antônio Lúcio Martins, o objetivo é retomar as raízes da cultura tradicional de botecos de Belo Horizonte. Para isso, a pauta em evidência é a cultura mineira e, neste ano, a festa que recria a coroação do Rei do Congo foi a escolhida.

“Espero para essa 6ª edição que continuemos a encantar o público com tira-gostos criativos e saborosos, frutos da transformação de ingredientes ligados a cultura mineira que é um pilar importante do nosso festival. Nossos bares têm cozinha de raiz, onde o próprio dono e seus familiares estão à frente do negócio, cuidando de cada detalhe desde a preparação do prato à higiene da casa. Tudo para garantir um excelente atendimento”, destaca Martins.

Até dia 11 maio, os bares participantes servem seus pratos feitos exclusivamente para o festival. Os próprios clientes votam para eleger o melhor levando em consideração o sabor, a apresentação, o atendimento, etc. Além dessa etapa, jurados técnicos também avaliarão as porções.