Home > Economia > Mercado de evento infantil não é abalado pela crise econômica

Mercado de evento infantil não é abalado pela crise econômica

Os pais não têm poupado para realizar a festa de aniversário para seus filhos. E esse é um mercado que está em alta. Para se ter uma ideia, dados da Associação Brasileira de Eventos (Abrafesta) mostram que o setor movimentou mais de R$ 17,2 bilhões no Brasil em 2017 – última pesquisa oficial -, mesmo diante da crise econômica. Desse montante, boa parte é representada pelos eventos infantis e, segundo uma estimativa da mesma associação, o segmento espera crescer cerca de 30% este ano, impulsionado também pelos chás de revelação e de bebê, batizado e mesversário.

A bancária Márcia Lopes está preparando o aniversário de um ano da filha. “Ainda falta 6 meses, mas estou comprando tudo aos poucos. O tema será circo e a primeira coisa que resolvi foi o salão de festas. Escolhi um que já tem o buffet incluído, decoração simples e animação para as crianças. Só com essa parte gastei cerca de R$ 3 mil”.

Ela conta que ainda vai encomendar os personalizados e pensar em uma sacola surpresa para entregar aos convidados. “Além disso, estou procurando alguns itens de decoração para deixar a mesa do parabéns bem bonita. Sempre pesquiso pela internet para encontrar o preço mais em conta”, diz.

Comemoração prática
As empresárias Thayana Mazzei e Miriã Kauage viram no ramo infantil um negócio. Há cerca de 6 meses, elas criaram a Kids Festaria. “A proposta da empresa é oferecer uma festa completa e personalizada na escola. Temos uma aceitação boa e os pais tem procurado bastante, afinal, não têm muito tempo para a organização. Nós já levamos tudo pronto e eles não precisam ter trabalho algum”, conta Thayana.

Ela diz que que a empresa recebe uma média de 10 pedidos de orçamento por dia. A propaganda do negócio é feita nas escolas, além das redes sociais e o próprio boca a boca. “Alguns pais fecham contrato com antecedência. Para se ter uma ideia, temos festa agendada para julho, agosto e novembro. É bom trabalhar com o público infantil, pois as crianças ficam encantadas com tudo e isso é muito gratificante”.

Ainda segundo Thayana, uma festa completa para cerca de 21 alunos e 5 adultos gira em torno de R$ 890. “Isso inclui foto, música, recreação, balões, kit lanche individual com bolo, docinhos, salgadinhos e suco. Levamos todos os itens descartáveis e um jogo americano. Tudo personalizado de acordo com o tema e com nome do aniversariante. Também fazemos as lembrancinhas educativas, como kits cineminha e de pintura”, explica.

A Kids Festaria segue a tendência mini table, que são mesas decorativas menores. “Algumas escolas permitem que a montemos e outras não. Caso necessário, adaptações são feitas. A mini table cabe em qualquer ambiente, mesmo que seja um espaço pequeno. Esse tipo de serviço gira em torno de R$ 500”, conclui.

Construindo sonhos
A designer de festas Dani Barbosa está no mercado há cerca de 3 anos e meio. Ela conta que trabalha com eventos personalizados e exclusivos. “Eu não tenho decoração pronta. A mãe chega com a inspiração e vamos construindo. Tudo é planejado e discutido com o cliente. Tento pegar nos mínimos detalhes o gosto dela e da criança”, explica.

Os personalizados também fazem parte da decoração. “Hoje é difícil não encontrar esses itens na mesa. Eles são pensados a partir da escolha do tema. São usados papelaria, biscuit, caixas e doces. É um mercado muito promissor”.

Dani diz que trabalha com todo tipo de cliente, desde os que querem uma festa mais simples até os que preferem algo mais extravagante. E o número tem aumentado nos últimos anos. “Eles estão buscando cada vez mais as festas perfeitas. É como se fosse a realização de um sonho. Estamos no meio de uma crise e, mesmo assim, as pessoas não deixam de comemorar. Elas têm se programado mais e verificado as possibilidades com antecedência”.

Daniel Amaro
Formado em jornalismo, Daniel tem 25 anos e possui experiência em assessoria de comunicação voltado para produção de conteúdo para web. Ama escrever sobre política, cultura, economia e saúde. É apaixonado por jornalismo investigativo e estudar inglês. É perseverante e adora desafios. Seu hobby preferido é viajar.