Home > Vigílias > Vigílias

Vigílias

Intriga palaciana
A grande imprensa, por meio das redes sociais, propalou informações indicando haver rusgas entre o governador eleito, Romeu Zema (Novo) e seu vice e colega de partido, Paulo Brant. Mas, pessoas próximas a ambos, dizem que eles estão afinadíssimos, até porque Brant pretende ser um conselheiro do chefe. Se ele atuar em alguma área, será por orientação do governador. Ou seja, pretende ser um cidadão discreto, sem arroubos, como sempre foi na vida.
Cena única – Aliás, o grupo de informações ligado ao governador busca saber quem está por trás da difusão dessa informação, tida como perniciosa.

A direita no poder
Embora seja considerado um pensador equilibrado, o cientista político mineiro Oswaldo Dehon não mediu palavras ao comentar, no programa Mundo Político da TV Assembleia, que a eleição do presidente Jair Bolsonaro (PSL) faz parte da presença da direita internacional no poder, inclusive nos governos do Mercosul. Uma “senhora” generalizada, não é mesmo gente?!

Gol de placa
A indicação do banqueiro e economista Joaquim Levy para o BNDES foi um gol de placa. Ele tem todo apoio do segmento produtivo nacional. Avaliação da cronista política de Brasília Cristiana Lôbo. Vamos devagar, gente…

Carros sem motoristas
Depois de participar da Feria Internacional do Automóvel, em São Paulo, o economista e filósofo paulistano José Pinheiro Medeiros ficou impressionado ao saber que, em breve, existirão carros que não precisarão de motoristas. Resta sabe quem vai aguentar pagar um luxo desses.

STF e a Previdência
Recentemente, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, fez comentários relacionados à necessidade de convocar líderes de todo o Brasil para discutir a Reforma da Previdência. Foi aí que o jornalista João Borges, especialista em assuntos econômicos, acrescentou: “Vejam o tema é tão sério que o presidente da mais alta corte do país a comentou sobre a questão”.

Deputado x Zema
Ainda fazendo comentários a respeito do último pleito, o parlamentar estadual reeleito para mais um mandato, deputado Bosco (Avante) declarou a um programa de política na TV mineira: “No primeiro turno, meu partido tinha candidatura própria, o Claudiney Dulim. Porém, no segundo, estive ao lado do atual governador Romeu Zema (Novo), meu conterrâneo de Araxá”.

Insegurança na saúde
Foi grande o número de assaltos e arrombamentos aos postos de saúde de Belo Horizonte, principalmente nos endereços mais distantes do Centro nos últimos meses. Em todas as oportunidades, os entrevistados clamam ao prefeito Alexandre Kalil (PHS) pela volta dos seguranças nestes locais, pois isso evitaria essa onda de insegurança que sentem as pessoas que residem nos bairros e precisam do serviço.

A meca da sucessão
Devido a sua longa experiência de vida parlamentar, o gabinete de Dilzon Melo (PTB), na Assembleia Legislativa, tem sido a meca onde se reúnem muitos deputados que estão interessados na disputa pela presidência da Casa, no dia 1° de fevereiro. Alguns que lá estiveram disseram que, de fato, ele é muito carismático.

Projeto arrojado
Em Brasília, o deputado mineiro Diego Andrade (PSD) está trabalhando para levar a plenário um Projeto de Lei que criminaliza qualquer administrador público que deixar de fazer as transferências de valores obrigatórios aos municípios. Neste caso, pode ser um recado direto ao governo mineiro que não tem repassado recursos às prefeituras.

MDB com o governo
Com experiência de ter sido deputado federal de algumas legislaturas, o advogado paulistano Airton Soares comentou, recentemente, na TV Cultura: “O MDB está ansioso para aderir ao governo Jair Bolsonaro (PSL)”. Aliás, segundo ele, os parlamentares começam discutindo a Reforma da Previdência para depois caminharem para o alinhamento geral.
Comentário único – Na opinião do ex-parlamentar, ao longo dos últimos 30 anos, o MBD não conseguiu ficar longe do governo. Uma espécie de “chapa branca extraoficial”. Quanto oportunismo, ora veja.

Apoio ao Zema
Por circunstâncias relacionadas às alianças partidárias, o deputado estadual, reeleito para mais um período de 4 anos, Roberto Andrade (PSB), declarou, recentemente, que não votou no governador eleito Romeu Zema (Novo), mas, que isso não quer dizer que ele irá ser contra sua futura administração. “Pelo contrário, os temas de interesse de Minas terão o meu apoio”, vaticina o parlamentar.

Eventos da propina
Sem rodeios, o filósofo Luiz Felipe Pondé sentencia: “A corrupção no Rio de Janeiro ficou mais aguçada depois da realização de grandes eventos, especialmente da Copa do Mundo e das Olimpíadas. Foram muitas obras e investimentos pesados. Então, a turma do mal entrou em cena, assaltando os cofres públicos com força”, disse.

Reinventando o PSD
Enfim, o presidente do PSDB mineiro, deputado federal Domingos Sávio reconheceu que seu partido foi derrotado nas urnas em Minas. Tanto que declarou: “As urnas deram seu recado. Nós do partido, precisamos reencontrar o nosso eleitor”. Antes tarde do que nunca, deputado!

Direita poderosa
Jornalista e apresentador de notoriedade Marcelo Tas analisa o quadro pós-eleição vaticinou: “A direita irá assumir o poder no Brasil e em grande parte dos países do Mercosul. É uma espécie de onda regional. Mas um dia, tudo passa”, prevê.

Petistas unidos
“Quem aposta na divisão do PT, quanto a eleição da Mesa Diretora da Assembleia, está redondamente enganado. No momento oportuno, sentaremos à Mesa e tomaremos a decisão em conjunto. Claro que, até lá, vamos continuar debatendo o assunto, mas, sem divisões de grupos”. Avaliação do eleito parlamentar do partido, Virgílio Guimarães ao visitar a ALMG, semana passada.

Sucessão na Assembleia
Entres os nomes citados como pré-candidatos à presidência da Assembleia, Arlen Santiago (PTB), Agostinho Patrus (PV), Leonídio Bouças (MDB), Virgílio Guimarães (PT), Cássio Soares (PSD) e o deputado Bosco (Avante), nenhum tem contabilizado mais do que 16 votos. Matematicamente, isto é muito pouco para dizer quem tem chances de vencer o pleito por enquanto, mesmo porque, o colégio eleitoral é de 77 votantes.

Burguês na liderança
Indagado por qual motivo não se candidataria à presidência da Câmara de Vereadores de BH, o líder de Governo na Casa, vereador Léo Burguês (PSL) usou o velho e conhecido adágio popular: “Não se mexe em time que está ganhando”. Ou seja, ele almeja continuar na mesma posição de hoje, com certeza.

Julvan conselheiro
O governador eleito Romeu Zema (Novo), em recente encontro com prefeitos dos municípios, comentou: “Gostaria de ter, nos próximos 4 anos, o presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), o prefeito Julvan Lacerda (MDB) como um dos meus conselheiros” Então tá Excelência…
Comentário único – Caso Julvan Lacerda venha ser o atual prefeito do município de Moema, no centro oeste mineiro. A eleição em sua entidade só acontecerá no mês de maio, mas, se fosse hoje, ele não teria sequer concorrente ao pleito, dizem os prefeitos próximos ao presidente.

Mineiro prestigiado
Quem quiser falar com o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), não precisa ir ao Rio ou a Brasília, basta pedir a intermediação do seu colega de partido, o deputado federal Marcelo Álvaro Antônio. O homem está com tudo.

Mineiro prestigiado II
Na semana passada, a informação de que o deputado Leonardo Quintão (MDB) será um nome de proa na futura administração de Brasília, mesmo tendo sido derrotado nas urnas na última eleição, corria solta nos corredores da Câmara. A conferir…

Nat Macedo
Belo-horizontina, 22 anos. Graduanda em jornalismo pelo Centro Universitário Estácio de Sá, fez cursos de Consultoria de Imagem e Design de Moda. Há 3 anos criou um blog voltado para o público feminino. Interessada em assuntos relacionados à minoria, gosta de dar visibilidade as pequenas causas voltadas a inclusão e empoderamento destes nichos.