Home > Destaques > Ansiedade pode ser a maior vilã antes e na hora de fazer o Enem

Ansiedade pode ser a maior vilã antes e na hora de fazer o Enem

Crédito: Suami Dias/ GOVBA

A estudante Anna Karolina Dias, 18, será uma das pessoas que vai fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), prova que dá acesso às universidades públicas de todo o país e a programas do governo para ingressar em faculdades particulares.

Pelo segundo ano consecutivo, ela tenta uma vaga no curso de psicologia. “Desde o ano passado, procuro saber quais são os conteúdos que mais caem na prova e, neste ano, desde janeiro, me organizei por meio do edital e das provas anteriores, separando os assuntos por ordem de importância”.

Anna estuda, aproximadamente, 5 horas por dia em casa, mas o seu maior desafio é a ansiedade. “Não nego que quanto mais perto da prova, mais desassossegada eu fico, entretanto, tento matar o medo e a insegurança me preparando. Quando você se sente capacitado, isso vira um detalhe”.

E não é apenas a jovem que está passando por esse desafio. Faltando menos de uma semana para a prova, os especialistas afirmam que este não é o momento de virar a noite estudando, mas sim revisar o que já foi visto e, acima de tudo, tentar aliviar o estresse e controlar a ansiedade.

O neuroterapeuta Tuiã Linhares, especilista em mapeamento cerebral (neurofeedback), diz que o mais importante é controlar o estado mental nesses dias antes da prova. “A pessoa precisa conseguir ter a percepção de quais pensamentos estão sendo acessados pela mente e dar preferência para os otimistas. É uma ação inconsciente de que, na hora que aparecer um pensamento pessimista, precisa-se cortá-lo e voltar para um ponto de vista mais benéfico”.

Além disso, ele ressalta que não é o momento para tentar aprender grandes conteúdos e nem fazer maratonas de estudo. “Essa fase deve ser voltada para a revisão. O estudante precisa estar ciente de que agora não vai aprender coisas novas e, por isso, o ideal é revisar conteúdos e fazer exercícios”.

Outro ponto destacado pelo neuroterapeuta é a importância do descanso para a absorção de conteúdos. “A folga é importante nessa etapa, porque é por meio dela que a aprendizagem vai se consolidar. Conhecemos histórias de pessoas que viram a noite estudando, dormem mal e, nesses casos, é muito comum elas não lembrarem o que foi estudo, afinal é no sono que o conhecimento é fixado”.

No dia da prova

Linhares afirma que no dia anterior à prova o ideal é não dormir muito cedo, nem tarde demais e tentar manter uma rotina normal. “Recomendo que o estudante deite no horário de costume para não ficar com sono na hora da prova”.

No dia do Enem, para tentar controlar a ansiedade, o melhor método é fazer um exercício de respiração. “Essa atividade é boa para abaixar a adrenalina, principalmente de quem é muito ansioso: observe a sua respiração e sinta o ar entrando de forma mais prolongada e solte-o de maneira mais lenta, contanto 5 segundos”.

O mestre em educação e diretor do Colégio Arnaldo, Geraldo Júnio, também dá outras dicas para o dia do exame. “Para o primeiro domingo, recomendo que faça o rascunho da redação primeiro e quando terminar toda a prova, passe para o cartão final. Além disso, é interessante levar o mínimo de coisas possíveis para o local, afinal os fiscais estão ficando bem rigorosos e qualquer atitude considerada suspeita pode zerar a prova, em casos mais extremos, ou até mesmo fazer perder um tempo que não será recuperado depois”.