Home > Opinião > Brasileiros gastam quase 4h por dia em redes sociais

Brasileiros gastam quase 4h por dia em redes sociais

Um estudo revelou que os brasileiros gastam mais de 9h diárias navegando na internet, sendo que quase 4h desse tempo é para acessar as redes sociais. E são os mais diversos aplicativos para troca de mensagens, postagem de fotos e compartilhamento de vídeos. No entanto, apesar das plataformas serem uma forma de lazer, é preciso ficar de olho para não usar em excesso ou perder o foco ao fazer outras atividades do dia a dia. Sobre esse tema, conversamos com o psicólogo e mestre em análise do comportamento, Gustavo Teixeira.

Quais os pontos positivos e negativos das redes sociais?
Elas facilitam a nossa vida e podem trazer ganhos interessantes, como estabelecer contatos, seja pessoal ou profissional. As redes sociais também possuem uma divulgação ampla das informações. Por meio do YouTube, muita gente acessa tutoriais, aulas, palestras, o que traz um enriquecimento cultural, maior conhecimento e senso crítico para a vida das pessoas. No entanto, elas trouxeram muitos problemas. E um dos efeitos colaterais é que qualquer um pode colocar conteúdos, expondo ideologias muitas vezes preconceituosas. Existe muita bobagem, fakes, entre outras publicações que podem causar estrago. Por exemplo, a maioria dos adolescentes possuem telefones celulares com câmeras. Alguns tiram fotos sem roupa ou gravam o momento de intimidade. Por alguma razão o material pode cair nas redes, causando transtornos e gerando traumas psicológicos profundos na vida desse adolescente.

O que pode ser feito para minimizar essa situação?
É preciso ter controle e pensar antes de postar qualquer coisa, afinal, todo mundo fica muito corajoso para expressar o que pensa nas redes, muitas vezes por não ter o contato físico. As pessoas muito impulsivas tendem a demonstrar isso de forma mais exacerbada. Às vezes, em um momento de raiva ou de pouca reflexão, perde o controle da situação e publicam coisas que ficarão documentadas e nem sempre refletem profundamente o que gostariam de expressar naquele momento. E isso traz consequências para a vida. Tem pessoas que perdem o emprego e até amizades.

Quais os motivos das pessoas usarem tanto as redes sociais?
A necessidade de se relacionar, aliado a facilidade do instrumento, é uma característica fundamental do ser humano que . Hoje, todo mundo tem acesso ao smartphone e tem essa possibilidade em qualquer tempo vago de tirar do bolso e conferir as redes sociais. Querem saber o que os amigos estão fazendo, leem textos, assistem vídeos, comentam e conversam.

É muito fácil e prático, o que torna o acesso interessante para a maior parte das pessoas. Além disso, as redes sociais têm um esquema de mostrar cada vez mais os assuntos relacionados a partir das interações. Isso quer dizer que a pessoa vê aquilo que mais gosta, acha interessante e considera valido gastar seu tempo, fazendo com que passem mais tempo navegando.

Por que algumas pessoas sentem necessidade de se expor?
A maior parte das nossas recompensas e as coisas que achamos significativas passam pela relação interpessoal. É muito forte a importância que o outro tem sobre mim. Algumas pessoas gostam de expor a vida na rede para que o outro saiba e ache interessante. O fato de alguém curtir ou comentar, talvez seja uma forma delas serem reconhecidas e valorizadas.

As redes sociais, muitas vezes, enfatizam a questão do reconhecimento social. Isso significa que o olhar que o outro tem sobre mim é mais relevante que a própria experiência. Por exemplo, a pessoa vai em um show e passa o tempo todo filmando e fotografando e assistindo tudo por meio da lente do celular, ao invés de desfrutar com plenitude da apresentação. Para ela, talvez seja mais importante falar que foi e compartilhar nas redes sociais do que ter o prazer de viver as sensações de estar lá presente.

Como esse tempo gasto afeta a vida no cotidiano?
Projetos significativos e que demandam um foco maior ficam comprometidos, já que as pessoas tendem a ficar mais distraídas. Usar as redes sociais pode dar um prazer imediato, além de ser fácil e gostoso a interação, mas pode se transformar em uma armadilha. O tempo gasto interfere na produtividade e nos resultados, comprometendo relacionamentos, trabalho, tempos de maior qualidade com os filhos e a família.

Como identificar o uso em excesso?
Talvez o critério seja quando a pessoa, mesmo percebendo as consequências, não consegue fazer diferente e permanece no mesmo padrão. Esse uso exagerado pode comprometer as outras atividades como, por exemplo, no trabalho. Às vezes podem colocar o emprego em risco, pois o patrão não quer ver seu funcionário brincando ao invés de mostrar produção.

Outro exemplo muito comum é quando o casal sai para comer. Na mesa do restaurante, ao invés de interagir e conversar, ficam olhando seus celulares. Isso mostra que há um empobrecimento no diálogo, colocando em risco o namoro ou o casamento. A produtividade acadêmica também pode ser afetada. Imagine a pessoa produzindo um texto e toda hora olhar o WhatsApp ou ver o que está acontecendo no Facebook. Há uma grande perda de energia e de foco.

É possível viver longe das redes?
É perfeitamente possível viver sem redes sociais. Hoje, o problema não é a tecnologia e sim a relação que as pessoas têm com ela. Todas as atividades têm a sua importância quando usadas adequadamente. Se formos comparar, antigamente faziam uso de outros dispositivos em excesso como televisão e jogos eletrônicos. Tudo que pode gerar prazer traz junto a possibilidade de a pessoa estabelecer uma relação de vício com aquele objeto. Isso também acontece com alimentos, sexo, bebida, entre outras coisas.

Daniel Amaro
Formado em jornalismo, Daniel tem 25 anos e possui experiência em assessoria de comunicação voltado para produção de conteúdo para web. Ama escrever sobre política, cultura, economia e saúde. É apaixonado por jornalismo investigativo e estudar inglês. É perseverante e adora desafios. Seu hobby preferido é viajar.