Home > Educação e cultura > Projeto cria camisetas para levantar bandeiras sociais

Projeto cria camisetas para levantar bandeiras sociais

“O que vestimos diz muito sobre aquilo que somos”. Esse velho ditado popular está bem atual, pois a moda não é apenas o que é bom ou não para determinado tipo de corpo, mas sim uma forma de traduzir o que pensamos. E, partindo desse princípio, a Mooca (primeiro marketplace do Brasil com aceleração de produtores locais), em parceria com a marca, trouxe uma proposta diferente para as camisetas temáticas da Copa do Mundo.

Levando em consideração que durante o Mundial todo mundo levanta a bandeira do Brasil, a loja criou a coleção “Meu Corpo Minha Bandeira”, com o intuito de destacar alguns movimentos sociais, como o feminismo, empoderamento negro e LGBT. “Após várias reuniões, chegamos a ideia de ter uma camisa simples, mas que permita que o público a personalize de acordo com a causa/brasão que se identifica”, explica uma das cofundadoras da Mooca Marina Montenegro.

O projeto é uma coleção exclusiva, no qual o fundamental é hastear as bandeiras de respeito e de orgulho. Além disso, a linha é composta por camisas brancas que carregam o slogan da campanha e as patches especiais (espécie de brasão), assinadas pelos designers Letícia Naves e Ronei Sampaio. “Para falarmos sobre esses movimentos sociais, procuramos artistas que tem um lugar de fala. Letícia possui atuação na causa feminista e, para o empoderamento negro e LGBT, convidamos o Ronei”.

Marina conta que há expectativa é fazer outras camisas englobando mais movimentos sociais. “Estamos chamando nas nossas redes sociais para as pessoas indicarem bandeiras que queiram ver. Após essa fase, como aconteceu na coleção anterior, vamos buscar também artistas com local de fala”.

Melania Trump e o casaco “polêmico”
Após o presidente dos EUA, Donald Trump, sancionar a política de tolerância zero aos imigrantes ilegais – o que causou a separação de várias crianças de suas famílias e mães -, a primeira-dama, Melania Trump, fez uma visita surpresa a um dos albergues onde estavam as crianças. Durante esse encontro, ela usou um casaco com a frase: “Eu realmente não me importo, você se importa?” estampado nas costas.

A ação da primeira-dama foi bastante criticada nas redes sociais e a imprensa questionou a porta-voz de Melania, Stephanie Grisham, o motivo daquela jaqueta. Ela respondeu que “Era um casaco. Não havia nenhuma mensagem oculta. Após a importante visita ao Texas, espero que a imprensa não escolha focar isso”.

 

Moda de resistência
Umas das pessoas que comprou as camisetas temáticas foi o psicanalista Rafael Paiva. Ele conta que adquiriu a com o patch do movimento LGBT. “Estamos vivendo em um momento bem sombrio, não só no Brasil, mas no mundo todo há uma onda de conservadorismo muito grande. Essa blusa mostra a minha posição e, ao usá-la, quero fazer resistência a isso”.

O psicanalista relata que ainda não usou a camiseta por ter pouco tempo que a comprou e, inclusive, confidencializa que há um certo receio de a coloca-la e sofrer algum tipo de retaliação. “O que nos une é a diferença e, apesar de tudo, vou usá-la para mostrar a minha bandeira”, finaliza.

PEGAR BOX