Home > Esportes > Na Copa do Mundo o que vence é o amor

Na Copa do Mundo o que vence é o amor

 

Nem James Rodríguez, nem Neymar e muito menos Müller. O verdadeiro artilheiro da Copa do Mundo de 2014 foi o cupido. É que ele trabalhou bastante durante as comemorações pelo Brasil e acertou inúmeras flechas, formando casais e, principalmente, muitas histórias pra contar. O Edição do Brasil foi atrás de algumas vítimas do anjo casamenteiro.

Uma aposta uniu a assistente administrativa Patrícia Santos e o soldado Eduardo Vaz. “No último jogo do Brasil, contra a Holanda, eu perguntei no grupo se alguém iria assistir à partida e ele disse que sim. Aí a gente marcou de se encontrar lá e apostamos que se o Brasil ganhasse ele ganhava um beijo meu, se perdesse, eu ganhava um dele”, recorda Patrícia.

Aposta paga e o casal não se desgrudou mais. “Desde o dia 12 de julho de 2014 estamos juntos. Este ano vamos assistir a todos os jogos que conseguirmos. Sou muito patriota e estou ansiosa para os jogos do Brasil”, afirma.
Já a história da agente de viagens Marília Fregona e do engenheiro Pablo Senosiain parece história de filme. Ela, brasileira. Ele, chileno. O casal se conheceu no metrô em um dia de jogo do Chile contra a Espanha. “Eu fazia muito plantão no trabalho e esse foi o único dia que consegui sair. Queria conhecer o Fifa Fun Fest. Quando entrei no metrô, notei que havia um grupo de chilenos. Quando chegou a hora de fazer a combinação de linhas, vi que eles estavam perdidos e ofereci ajuda. Acabei descobrindo que eles também iam para a festa”, conta Marília.

Como ela estava sozinha, aceitou a companhia do grupo. Ela e Pablo conversaram, viram os jogos e passaram a tarde juntos sem nenhum clima de romance. “Porém, quando foi a hora de despedir, nos beijamos e combinamos de nos ver nos dias seguintes. Ele ficou mais uns 4 dias no Rio e foi para São Paulo acompanhar a seleção chilena”.

Marília recorda que pediu para que ele voltasse para o Rio depois. “E não é que ele voltou para me ver. Aí, tivemos certeza que havia algo mais. Ele voltou para o Chile e seguimos nos falando pela internet. Fui visitá-lo, ele também voltou ao Brasil e decidimos que eu me mudaria para o Chile para morar com ele. Nunca pensei que isso aconteceria”.

Eles se casaram em janeiro de 2016 e, quando completaram 2 anos juntos, fizeram uma festa junina aqui no Brasil. “Ele conheceu a tradição e se apaixonou pelas comidas e pelo forró. Somos apaixonados por futebol. Em 2015 teve a Copa América aqui no Chile, compramos o pacote e vimos todos os jogos da seleção chilena, que foi campeã. Em 2016 seguimos o clima com a Copa América Centenário, que o Chile também levou”.

A história do casal é tão relacionada a Copa do Mundo que essa história não teria como terminar diferente: “Estou grávida de 7 meses e meio e o neném deve nascer no dia da final da Copa da Rússia. Não foi planejado, inclusive, iríamos para a Rússia, mas com a gravidez e a desclassificação do Chile, mudamos de planos”.

Ela acrescenta que está confiante no hexa brasileiro. “Acho que o Tite está fazendo um bom trabalho e os jogadores estão bem focados. Estou feliz porque conseguirei ver todos os jogos pela TV, pois já estarei de licença-maternidade. E espero que o neném não nasça na hora da final para que eu consiga ver o jogo no hospital (risos)”.

O cupido também acertou um casal muito famoso durante a Copa do Mundo de 2010, provando seu poder. A cantora Shakira e o zagueiro do Barcelona Gerard Piqué se conheceram nas gravações do clipe da música tema do evento naquele ano, a famosa “Waka Waka”. Hoje, o casal mora junto e tem dois filhos.

Nat Macedo
Belo-horizontina, 22 anos. Graduanda em jornalismo pelo Centro Universitário Estácio de Sá, fez cursos de Consultoria de Imagem e Design de Moda. Há 3 anos criou um blog voltado para o público feminino. Interessada em assuntos relacionados à minoria, gosta de dar visibilidade as pequenas causas voltadas a inclusão e empoderamento destes nichos.