Home > Economia > Contratação de empresas para limpar nome triplica em um ano

Contratação de empresas para limpar nome triplica em um ano

A busca por empresas que tiram o nome de pessoas da lista de negativados cresceu no último ano. Segundo pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), o número de inadimplentes que afirmam já ter procurado esses locais aumentou 16 pontos percentuais (p.p) neste ano (25%) em comparação com 2017 (9%).

Os principais motivos para contratar uma instituição especializada são garantir que o nome fosse realmente limpo (24%), receber ajuda nas negociações (19%) e evitar constrangimentos com os credores (19%). Ademais, aproximadamente 14% que contrataram o serviço resolveram a situação (aumento de 10 p.p em relação ao ano passado, 4%) e 11% não tiveram o nome limpo (crescimento de 5 p.p.).

Já o valor pago para limpar o nome foi de R$ 375,21, sendo que 45% pagaram uma quantia antecipada fixa e 37% quitaram um percentual sobre o montante da dívida.

Diferentemente do que acontecia antes, quando a indicação de uma pessoa próxima teve influência para contratar uma empresa para limpar o nome, quem possui débitos em atraso, em 2017, optou por locais que tinham anúncio na internet. Aproximadamente 43% dos consumidores encontraram as empresas de forma online, enquanto 15% receberam a indicação de conhecidos – queda de 17 p.p.

A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, acredita que esse aumento na procura está relacionado à necessidade dos brasileiros de limpar o nome. “Apesar do auge da crise econômica ter ficado para trás, o número de inadimplentes têm crescido e, hoje, temos quase 62 milhões de pessoas nessa situação. Isso abre espaço para essas empresas atuarem”.

Marcela acrescenta que é necessário que haja uma avaliação prévia. “Algumas pessoas acabam buscando uma instituição especializada sem saber que, para limpar o nome, não precisa dessa assessoria. O ideal é procurar o local onde a dívida foi feita e negociar diretamente. As instituições têm um canal aberto para renegociar a dívida e, em momento de crise, ele fica ainda mais forte, pois elas sabem que o consumidor não consegue fazer mais negócios e precisa quitar a sua dívida para continuar consumindo”.

E se caso ainda tenha alguma dúvida sobre o valor da dívida, ela aconselha a procurar os serviços de apoio ao consumidor da cidade, como Procons. “Isso pode ajudar a evitar gastos extras com as empresas que renegociam os débitos em atraso”.

Cuidado!
Ao contratar uma empresa para limpar o nome, fique atento para não cair em algum golpe. Certifique-se que ela tenha um bom nome na praça e que as promessas feitas sejam possíveis. Por exemplo, se a instituição oferecer a quitação sem pagar o valor da dívida, isso certamente será um golpe!

Como pagar a dívida
Marcela pontua que antes de procurar a empresa devedora para renegociar a dívida, é preciso colocar as despesas em um papel e se organizar para oferecer a melhor oferta. “Quem está com contas em atraso é necessário um esforço maior, decidir quais gastos podem ser redirecionados para o pagamento de dívidas e, muitas vezes, fazer algum sacrifício, como suspender algo que gosta ou até vender um bem visando evitar o corte de serviços essenciais ou taxa de juros muito elevadas”.

Serasa Consumidor:
O site Serasa Consumidor dá dicas do passo a passo de como limpar o nome:
1- Consulte seu CPF: Antes de tudo é preciso saber exatamente qual é a sua dívida, pois existem muitas pessoas que estão negativadas e não sabem. Pode acontecer de você mudar de endereço e se esquecer de avisar alguma empresa. Pode ser a empresa de gás, um cartão de mercado ou boleto de alguma loja que você comprou há muito tempo.
2- Negocie a dívida: Se você consultou seu CPF e viu que está com dívidas. O jeito mais rápido pode ser usar o site Serasa Consumidor, na opção “Serasa Limpa Nome”. Lá existem algumas empresas parceiras que negociam na própria plataforma.
Acesse o site: serasaconsumidor.com.br