Home > Destaques > Acupuntura promove benefícios físicos e mentais

Acupuntura promove benefícios físicos e mentais

A acupuntura, técnica milenar que promove bem estar físico e psicológico, tem ganhado espaço e ampliado o leque de tratamentos, principalmente, contra o estresse. Além disso, o procedimento busca encontrar a harmonia energética do corpo e serve para equilibrar distúrbios hormonais, menstruais, combater a insônia, depressão, ansiedade, síndrome do pânico, melhorar a concentração, memória etc.

E todos esses benefícios foram o que fizeram o analista de sistemas Luiz Souza a aliar o tratamento psicológico a sessões de acupuntura. “Estava passando por muitas crises nervosas e, inclusive, fui diagnosticado com síndrome do pânico. A técnica foi fundamental para o meu tratamento. Eu não acreditava e desconhecia os seus benefícios”.

Souza conta ainda que a cada sessão sentia que estava no caminho certo. “Era o meu momento de relaxamento. Houve redução significativa do estresse e consegui controlar a minha ansiedade. Fiz durante 5 meses e não vejo a hora de voltar”.

Técnica
O acupunturista e massoterapeuta Gabriel Bloch explica que, na acupuntura, os médicos chineses pensam no corpo permeado por linhas de energia chamadas de meridianos e dentro dessas linhas existem pontos que são os acupontos – onde o médico irá acionar por meio das agulhas descartáveis – e cada pontinho tem cerca de 60 funções.

Bloch diz ainda que antes de iniciar o procedimento ele realiza uma espécie de entrevista com o cliente a fim de identificar e entender o padrão emocional, físico e existencial do cliente. “Também faço um exame de língua, pois na medicina chinesa por meio da língua é possível identificar como a pessoa está internamente e externamente. Além disso, há o exame de pulso, que é uma forma diferente da medicina ocidental. Assim, eu consigo entender profundamente como o cliente se encontra, ou seja, em sua dimensão enérgica e emocional. Depois dessa etapa, decido qual o procedimento será mais adequado”.

Para ele, o crescimento na busca pelo procedimento se dá porque o público ocidental vem se conscientizando em relação a vida como um todo. “As pessoas buscam um tratamento que não tenha efeitos colaterais e que enxergue o ser humano de forma mais holística e natural. Eu respeito muito a medicina ocidental e gosto muito da oriental. Acredito que as duas trabalham conjuntamente”.

O profissional conta ainda que a acupuntura foi reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina e declarada patrimônio cultural intangível pela Unesco em 2010. “É uma medicina milenar e profunda que não trata apenas dos sintomas, e sim da raiz dos problemas. Tanto que para a medicina chinesa, todos os desequilíbrios advêm de excessos emocionais”.

Os resultados da terapia foram tão positivos para a engenheira de produção e coordenadora de processos e qualidade Luciana Albergaria que ela diz que indica a prática para todo mundo. “Fiz para ajudar a emagrecer, diminuir o estresse e dores na coluna. Conciliei com outros tratamentos e alcancei meus objetivos. Nunca duvidei da técnica e, inclusive, já fiz auricoloterapia para perda de peso”.

Tem hora de parar?
Bloch salienta que o diferencial da medicina chinesa é a escuta e o respeito ao desenvolvimento e individualidade de cada cliente, pois cada um reage de uma forma. “Existem pessoas que em poucas sessões conseguem chegar em uma zona de equilíbrio interessante. Já outras precisam de um pouco mais”.

Alguns tipos de acupuntura
Acupuntura clássica: Utiliza a aplicação de agulhas finas, em diferentes profundidades na pele.
Eletroacupuntura: estimulação de agulhas de acupuntura por impulso elétrico.
Acupressão: Pressão dos dedos nos pontos de acupuntura, ou nas mãos e nos pés.
Cupping ou ventosa: Aplicação de uma pressão negativa nos pontos de acupuntura, com sangria ou não. A pressão pode ser feita utilizando objetos como jarras ou xícaras aquecidas sob a pele para gerar sucção.
Acupuntura auricular: Estimula pontos energéticos da orelha.
Ariane Braga
Apaixonada por animais, mercado econômico e educação. Tem 29 anos, graduou-se em jornalismo e cursou MBA em marketing na Unopar. Tem experiência de mais 8 anos na área de comunicação e marketing, com a elaboração de projetos, assessoria de imprensa, redação e edição de jornais e revistas, planejamento e monitoramento de mídias sociais, comunicação interna e fotografia.