Home > Esportes > Brasil é o segundo país com mais boxes de crossfit

Brasil é o segundo país com mais boxes de crossfit

Quer ficar em forma em pouco tempo e ainda definir a barriga para o verão? Então procure o crossfit, pois ele proporcionará perdas calóricas de até 100 kcal por treino. Devido a isso e também ao fato das atividades serem diferentes a cada dia, a modalidade vem ganhando cada vez mais adeptos no Brasil. Uma prova disso é que, segundo ranking do CrossFit Inc, o país é o segundo que mais possui boxes licenciados (819) – ficando atrás apenas dos EUA (7.211), local onde a modalidade foi criada.

O coach e professor de educação física Lucas Machado conta que esse tipo de treino surgiu para ser uma atividade física diferente para os atletas profissionais e chegou ao Brasil com a intenção de captar variados perfis. “Quando o crossfit veio para cá, pessoas normais que estavam paradas ou que só praticam musculação queriam saber o que os atletas estavam fazendo e repetir os mesmos exercícios”.

Ele explica que o crossfit é uma mistura de movimentos funcionais variados e executados em alta intensidade, além de técnicas de levantamento de peso. “Todo mundo pode praticar a modalidade, desde que o treino seja pensado para aquela pessoa especificamente. O treinador não pode oferecer um série de exercícios semelhantes para quem está há um ano parado e para outro que já está no box há mais tempo”.

O jogador de futebol americano do Galo Rodolfo Santos é um dos praticantes do crossfit. Ele relata que conheceu o esporte em 2008 por meio de um amigo que morava em Londres. “Eu já praticava futebol americano, ele era jogador da seleção britânica de rugby e disse para eu procurar a respeito, porque o estilo de treino estava revolucionando a preparação física dos atletas de lá”.

Santos afirma que o que mais lhe chamou atenção foi a variação de exercícios que a modalidade proporciona. “Há uma combinação de componentes que vão de atividades com carga até as de ginástica que utiliza o peso do corpo. Essa mudança cria um ambiente fora da zona de conforto, mesmo nos exercícios em que a pessoa já é adaptada. É sempre um desafio novo”.

Ele destaca também que o crossfit o ajuda bastante na prática do futebol americano. “A variação dos treinos te obriga a bolar uma estratégia de continuidade. Achar o menor tempo de descanso para conseguir manter o esforço sempre em 100%. O futebol exige do atleta, diferentes tipos de estímulos e como o jogo é pausado, sempre tem uns segundos para respirar entre cada jogada e dar aquele esforço máximo”.

O gosto pelo esporte foi tanto que Santos se profissionalizou como coach. “Sou formado em educação física e trabalhei com treinamento funcional. Além disso, por ser atleta, me usei de cobaia para encontrar o tipo de estímulo que melhor se adaptasse ao meu estilo de vida e que conseguisse me proporcionar resultados melhores. O crossfit trabalha muito a mobilidade corporal, o que auxilia na qualidade dos movimentos articulares. E isso é importante para qualquer pessoa, seja ela atleta ou só alguém que busca uma qualidade de vida melhor”.

Outro praticante da modalidade é o estudante Jander Padula. Ele conta que conheceu o esporte em 2014 nas transmissões ao vivo de competições nos canais de TV a cabo. “Sempre tive a curiosidade de saber como funcionava, pois ele era temido por muitos que faziam musculação”.

Padula conta que o crossfit mudou a sua vida. “Fiquei fascinado pelos exercícios, em específico o levantamento olímpico e a ginástica. Entrei com o objetivo de ganho de massa muscular e abaixar o percentual de gordura. Com auxílio nutricional e dedicação, consegui sair de 152 Kg para 85 Kg em um ano”.

Risco de lesões
Segundo estudo divulgado pelo Journal of Strength and Conditioning Research, o crossfit possui um alto índice de lesões, 73% dos praticantes já sofreram algum tipo de traumatismo e 7% precisou de intervenção cirúrgica. O coach Lucas explica que os riscos existem, como em qualquer outra modalidade, mas que eles podem ser minimizados com um bom profissional. “O ideal é que haja sempre um professor do lado orientando como o aluno deve praticar aquele exercício da melhor forma possível. Além disso, também cabe a pessoa mostrar quais são os seus limites e não querer ultrapassá-los logo na primeira aula. O bom profissional não é o que faz com que o aluno quase “morra” na primeira aula, mas sim aquele que leva o novato a querer voltar no dia seguinte”.

Onde treinar crossfit?
Dica mais importante para quem quer começar a praticar a modalidade é procurar um box autorizado.

Serviço: Crossfit4x4 Endereço: Rua Santa Catarina, 739 – Lourdes Telefone: 31 3643-0001 Os preços variam de R$ 200 a R$ 400 dependendo da quantidade de treinos semanais