Home > Educação e cultura > Filmes são ferramentas importantes para o aprendizado dos alunos

Filmes são ferramentas importantes para o aprendizado dos alunos

Os filmes de Hollywood não são apenas produções que querem distrair o público, eles estão trazendo questões sociais importantes e, devido a isso, seus personagens principais não são aqueles de décadas passadas. Atualmente, é possível encontrar protagonistas mulheres (Mulher Maravilha), negros (Pantera Negra) e latinos (Star Wars). Por isso, as produções ganharam papéis fundamentais no aprendizado dos alunos.

A professora do curso de pedagogia do Centro Universitário Estácio de Sá, Ana Paula Cavalcanti diz que usar filmes é uma estratégia interessante para abordar temas de maneira diferente. “Atualmente, temos que empregar uma metodologia mais ativa, fazendo com que os alunos debatam e cheguem a uma conclusão. Ademais, o audiovisual também contribui para que a mensagem seja passada com mais clareza e facilidade”.

Ela reitera que essa metodologia deve ser planejada com antecedência para que o educador consiga atingir o seu objetivo. “O filme não pode ser encarado como um passatempo ou uma atividade para se fazer quando o professor falta. Ele tem que ser executado com a seriedade de mais um exercício do cotidiano e, após a exibição, é fundamental que haja uma discussão sobre o que foi visto”.

O professor de inglês Christian Prando é um exemplo de docente que opta por passar filmes para seus alunos, seja para absorverem melhor a língua, quanto para debater temas atuais, como a diversidade. “Além das produções cinematográficas, também uso alguns gibis para trazer o que estou falando para a realidade do aluno”, comenta.

Filmes mais reais
Augusto Jimenez, psicólogo da Minds Idiomas, afirma que diferente do que aconteceu após a Segunda Guerra quando o cinema retratava o “american way of life”, ou seja, o padrão da família “perfeita” em termos de beleza, gênero e regras que deveríamos seguir, a indústria percebeu que tem que acompanhar a realidade das pessoas. “A vida é diferente quando falamos de cada indivíduo, principalmente as minorias, como negros, mulheres, estrangeiros, pessoas com deficiência física e mental e LGBTs”.

Ele afirma que levar essas discussões para as crianças é fundamental para que entendam a sociedade. “Aprender tem haver com a sinergia entre experiências e estudo. Logo, a vivência e o contato que elas têm com filmes, quadrinhos e todo o tipo de entretenimento interfere no processo de formação como indivíduo e aluno”.

Para além disso, a presença de super-heróis diferentes daqueles tradicionais, como a Mulher Maravilha e Pantera Negra nos quais uma mulher e um negro ocupam os papéis principais, respectivamente, é interessante para mostrar para essa minoria social de que eles também podem ser protagonistas. “Eles estão brigando pelo correto, por representatividade. Ainda não é bem uma democracia, mas está todo mundo acordando para o que já deveria ter acontecido há muito tempo”.

Apesar desse movimento estar acontecendo, ainda há muito para ser conquistado. “Não há igualdade, pois mulheres, negros e asiáticos são minoria na direção dos filmes. Para se ter uma ideia, no período de 2007 a 2017, apenas 52 filmes foram dirigidos por mulheres. Dá uma média de menos de seis filmes por ano”, finaliza.

Mulher Maravilha
Esse é o primeiro filme que traz uma heroína como protagonista e mostra que os heróis, independente do sexo, têm a mesma importância. Trazendo para o dia a dia das crianças, essa produção pode enfatizar a mensagem sobre a igualdade de gênero e empoderamento feminino.

Pantera Negra
Esse também foi um filme que marcou a história, pois é o primeiro que os protagonistas são negros. Essa produção proporcionou as crianças e jovens negros, que quase nunca se veem representados nas telas, a terem um herói no qual podem se identificar.

Star Wars Episódio VII: O Despertar da Força
Após anos de saga, esse episódio pode ser um retrato dessa nova demanda da audiência, pois o trio de protagonistas é formado por um latino, uma mulher e um negro. Apesar do produtor do filme, Bryan Burk, ter afirmado que a questão da representatividade nem deveria ser discutida e sim ser algo natural, o filme ajudou a milhares de crianças a se enxergarem na história.

Extraordinário
Esse é um filme que fez muitos espectadores chorarem pois mostra a vida de um menino portador da Síndrome de Treacher Collins, doença na qual fez com que o personagem tenha uma deformidade no rosto. A produção ensina alguns valores para crianças, como superação, respeito pelas diferenças e empatia.

A Bela e a fera
A produção retrata a diversidade e um tipo de protagonismo diferente dos grupos historicamente representados, pois os principais são uma mulher e a “fera”. Além disso, também há o primeiro personagem homossexual da Disney, retratando a descoberta da sexualidade.