Home > Economia > Mercado de trabalho abre as portas para a terceira idade

Mercado de trabalho abre as portas para a terceira idade

Crédito: Reprodução/Internet

Segundo dados do Relatório Mundial de Saúde e Envelhecimento, da Organização Mundial da Saúde (OMS), no país, estima-se que a população idosa somará cerca de 65 milhões (30%) em 2050. Ou seja, em 2046, para cada 100 jovens, haverá 258 idosos. Além disso, a expectativa de vida aumentou mais de 30 anos: passando de 40,7 em 1945 para 75,5 anos em 2015. E, com isso, em 2050, projeta-se que as pessoas vivam até os 80,7 anos.

Pensando nisso e avaliando as qualidades que um profissional mais maduro pode oferecer, o mercado de trabalho está contratando pessoas com mais experiência e há perspectiva de que, nos próximos 30 anos, os idosos sejam mais atuantes.

De acordo com os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), o número de pessoas entre 50 e 64 anos no mercado formal de trabalho cresceu quase 30% entre 2010 e 2015. Em 2010, segundo o Ministério do Trabalho, havia 5,89 milhões de trabalhadores com carteira assinada nessa faixa etária. Já em 2015, esse índice aumentou para 7,66 milhões. Além disso, houve aumento na faixa acima de 65 anos. Em 2010, 361,4 mil trabalhadores ocupavam vagas formais de trabalho, já em 2015, esse grupo cresceu para 574,1 mil, um avanço de 58,8%.

Marcos Henriques de Mendonça, executive feach da Leaders – HR Consultants, afirma que isso acontece por causa de um mercado cada vez mais instável no qual as corporações precisam se adaptar com rapidez. “Nessa busca por resultados, relativiza-se a idade da pessoa. O que mais se procura é a qualidade de um profissional em trazer, em menor espaço de tempo, o retorno necessário para empresa”.

Mendonça reitera que alguns paradigmas estão sendo mudados em vários segmentos. “Antigamente, acreditava-se que um profissional experiente era aquele que tinha entre 40 e 50 anos. Hoje, quem ocupa esses cargos são pessoas com mais de 55 anos”.

Ele diz ainda que o setor que mais absorve profissionais maduro é o industrial “A experiência para operações e gestões de projetos são características muito valorizadas nesse ramo”.

Empreendedorismo

O aposentado Fernando Benevites, 68, sempre foi ativo e trabalhou em funções bem diversificadas, como metalúrgico, vendedor e até tentou ter o próprio negócio. “Abri uma empresa com os meus amigos na década de 80, então passei por todas aquelas crises econômicas e políticas daquele período e o negócio não foi para frente”.

Essa experiência marcou a sua vida e, após 30 anos, ele está fazendo um curso na área de empreendedorismo. “Observo que há uma tendência de emancipação da terceira idade, já que vivemos mais tempo e com qualidade de vida. Os jovens estão chegando no mercado de trabalho com uma carga de conhecimento muito grande e temos que tentar competir com isso”.

Benevites está na última semana do curso, porém ainda não sabe o que pretende fazer após a conclusão. “Quero voltar para o mercado, mas não sei em que posição. Acredito que se eu tivesse feito essa especialização antes de ter aberto a empresa, ela não teria fechado e eu com certeza estaria com uma aposentadoria melhor”.


Conheça o Instituto de Pesquisas e Projetos Empreendedores (IPP)

O Instituto de Pesquisas e Projetos Empreendedores (IPP) é um projeto desenvolvido por Eliane Gomes. Ela conta que a ideia nasceu após notar uma demanda da população mais madura em continuar se especializando. “Estamos desperdiçando a bagagem intelectual de alguém que poderia contribuir muito com o mercado de trabalho. Com a aposentadoria, as pessoas às vezes, se sentem inúteis e esse projeto tem como objetivo mostrar novas possibilidades, despertar e reconstruir habilidades, além de desenvolver competências”.

O curso tem duração de duas semanas, sendo a primeira destinada a parte teórica e a segunda voltada para as questões práticas. Após a conclusão, o aluno receberá um certificado. A formação é gratuita e destinada para pessoas acima de 60 anos.

Para mais informações, ligue para 3643-7265 ou no site.


Você sabia?

No caso de o trabalhador estar aposentado e querer continuar no mercado, a legislação assegura todos os direitos dos demais trabalhadores, como férias, 13º e salário-família, EXCETO auxílio-acidente e auxílio-doença.