Home > Esportes > Escolher a roupa ideal para praticar exercício físico faz toda a diferença

Escolher a roupa ideal para praticar exercício físico faz toda a diferença

Não é novidade que a moda está presente no nosso dia a dia. Estamos constantemente pensando na roupa ideal para o trabalho, happy hour com os amigos, festa no fim de semana e, até mesmo, o modelo para ir à academia. Quando se trata da malhação, o tecido e corte do look auxiliam bastante na hora de fazer o exercício sem comprometer os movimentos.

De acordo com a estilista da Evidence Ballet – marca brasileira de roupas e acessórios de dança e esporte – Lilian Marrul, a maioria das pessoas acreditam que para fazer exercício físico é preciso um look soltinho e confortável, mas ela explica, que dependendo da modalidade, isso pode atrapalhar”.

Ela acrescenta que o corte da peça é a chave para o conforto. “Um decote cavado, aquele modelo mais tombadinho no ombro, uma roupa apertada ou que comprime o abdômen pode ser prejudicial”.

Foi o que aconteceu com a estudante Yasmin da Costa. “Eu estava no banco de musculação, onde eu seguro duas barras e puxo simultaneamente mais duas com o pé. Minha legging era de cós alto e minha camisa larguinha e curta. Com o movimento, a camisa agarrou em um dos ferros e ficou presa. Acabei rasgando a peça. O tecido era bem fino, então quando puxei acabou abrindo a costura. Como estava com um top por baixo, terminei o exercício, mas agora opto por roupas coladas no corpo, cujo material seja confortável e fresco”.

Assim como Yasmin, outras pessoas erram na escolha da peça por buscarem tecidos mais confortáveis. “Às vezes escolhemos aquele que não deixa a pele respirar, como o poliéster, que é muito usado, mas não é favorável a atividade física. Isso pode fazer com que a roupa pinique e fique quente. A dica seria um tecido com maior porcentagem de algodão ou poliamida”, explica a estilista.

Lilian elucida que a demanda de pessoas procurando o look ideal para o exercício cresceu tanto que já é uma preocupação das marcas. “Todas estão buscando tecidos leves, cortes suaves e que tem benefícios, como proteção UV, que é importante para quando a pessoa pratica corrida e atividades externas”.

Uma outra questão pensada é que hoje muitas pessoas usam o look da academia para o dia a dia. “Algumas preferem esse tipo de roupa. Depois do exercício vão resolver algum assunto ou até mesmo ir para o trabalho, etc. Por isso, existe uma preocupação maior com a estética, o que tem feito muitos estilistas migrarem para a área fitness e de dança”.

Ela acrescenta que, cada vez mais, os profissionais estão se especializando na área. “O look de malhar não é mais aquela blusa velha que a pessoa tem em casa. O mercado cresceu e todos estamos nos adaptando a ele”.

 

Lilian dá algumas dicas para algumas modalidades populares.
o yoga: necessita de roupas mais soltas, mas sem a modelagem muito ampla. É importante que ela prenda em pontos estratégicos, como na canela para que o tecido não escorregue na pele e deixe a pessoa limitada na hora dos movimentos.
A musculação: peças mais justas. Recortes amplos também podem atrapalhar. É necessário encontrar um meio termo entre a peça justa e larga demais. Nesse grupo, há quase sempre uma preferência por roupas que mostrem o corpo, como o top.
Nat Macedo
Belo-horizontina, 22 anos. Graduanda em jornalismo pelo Centro Universitário Estácio de Sá, fez cursos de Consultoria de Imagem e Design de Moda. Há 3 anos criou um blog voltado para o público feminino. Interessada em assuntos relacionados à minoria, gosta de dar visibilidade as pequenas causas voltadas a inclusão e empoderamento destes nichos.