Home > Opinião > Vegetarianismo tem se popularizado no Brasil

Vegetarianismo tem se popularizado no Brasil

Crédito: Reprodução/Internet

A alimentação vegetariana e vegana têm ganhado força no país. A preocupação com o meio ambiente e a saúde são alguns dos motivos que fazem com que as pessoas repensem sobre o seu regime alimentar. Para saber mais sobre como e por que essa alimentação tem se popularizado, conversamos com o presidente da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), Ricardo Laurino.

  Quais são os motivos que levam uma pessoa a seguir um regime alimentar vegetariano e ou vegano?

Existem três motivos principais, o primeiro é o ético. Cada vez mais as pessoas se questionam sobre a postura que devem ter perante os animais. E quando vai a fundo nesta questão, percebe-se que não há sentido colocar produtos de origem animal no seu prato. As que tem um laço com animais domésticos, por exemplo, acabam estendendo essa relação para a alimentação, pois percebem a incoerência.

O segundo argumento é a saúde – há vários estudos que demonstram que existem diversos benefícios na alimentação a base de vegetais, como redução no índice de desenvolvimento das doenças que mais matam no mundo: AVC, câncer e problemas cardíacos.

E, por fim, o terceiro é a questão ambiental. Estudos e a ONU afirmam que é grande o impacto que se tem em relação ao consumo de água, uso de terras e desperdício de alimentos que são usados para alimentar os animais.

Sabe-se quantos adeptos desse método de alimentação existem no Brasil?

Há estudos, mas estão um pouco defasados. O maior realizado foi pelo Ibope em 2012. A pesquisa mostrou que 8% dos brasileiros se denominavam vegetarianos. Porém, não se leva em consideração todo o crescimento de hoje, principalmente, do veganismo. Se olharmos o Google Trends, em 5 anos, aumentou em mais de 1.000% a busca por esse termo. Além disso, há uma elevação exponencial de estabelecimentos que atende esse público.

A alimentação vegetariana ou vegana promove alguma limitação de vitaminas? Qualquer um pode seguir essa dieta?

Qualquer pessoa. No entanto, é bom frisar que, de um modo geral, muita gente tem uma alimentação bem restrita, ou seja, são poucos os alimentos que consumimos normalmente. As pessoas comem poucas frutas, verduras e legumes. E se esse indivíduo que tem uma alimentação precária, deixando de comer carne estará tirando mais uma opção e pode apresentar algum tipo de problema. Mas isso também pode acontecer com qualquer um, independente da dieta, porque falta informação para se alimentar bem.

Nas redes sociais é possível encontrar memes e pessoas que criticam esse estilo de vida. A questão cultural faz com que esse tipo de alimentação sofra chacota?

É uma questão cultural. Para todas as mudanças que tiveram no mundo, houveram reações contrárias. Porém, existe a necessidade de renovação que acaba sendo natural. Por exemplo, até a década de 1990 eram poucos os estudos que avaliavam o impacto da alimentação vegetal nas pessoas. E, geralmente, eles eram focados nos problemas que isso poderia gerar. Posteriormente, começamos a ver mudanças e outras pesquisas mostraram resultados inversos. Além disso, tem o medo, já que muitos acham que terão de mudar a vida, perder coisas etc. Mas isso é uma bobagem.

O que aconteceria se todo mundo fosse vegetariano?

Se levarmos em conta os motivos que citei, o que aconteceria é que continuaríamos cuidando dos animais até que eles morressem de forma natural. Pararíamos de produzir de forma absurda esses animais para consumo. Em pouco tempo teríamos cada vez mais espaço para renovar as florestas. Provavelmente, as pessoas saberiam mais sobre alimentação e se alimentariam melhor. Enfim, é complicado imaginar tudo isso – seria ótimo –, mas difícil.

Devido a popularização da dieta, é possível ter esse tipo de alimentação com um custo acessível?

Sem dúvida. O custo de sua alimentação depende de suas escolhas. Existem produtos que são caros e baratos, assim como os produtos de origem animal. Tudo vai de acordo com o que se quer. A base da alimentação vegana é arroz, feijão, legumes, verduras e frutas. Em qualquer feira que você for é possível escolher produtos desses grupos que serão mais baratos que os de origem animal. Itens especiais, que não são algo do dia a dia, tem um custo mais elevado.

 Para quem quer mudar a sua alimentação para o vegetarianismo, qual é o primeiro passo?

O principal é buscar informações sobre o que come, como está a sua saúde e saber o que começará a colocar no prato. O básico é reforçar o arroz e feijão, que é da alimentação típica do brasileiro que muita gente está se afastando. E depois vai incluindo legumes, frutas, verduras etc. Isso dará um aporte de 99% daquilo que a gente precisa.


Campanhas

Ricardo conta que a eles buscam conscientizar a população de diversas maneiras. “Em nosso site temos várias publicações que falam desde o impacto ambiental até a melhor forma de transição para a alimentação vegana”.

  • Segunda Sem Carne e 21 Dias Sem carne – “é um convite para as pessoas fazerem um teste para perceber que não é difícil”.
  • Se você ama um, então por que come outro? – “voltada para pessoas que são ligadas aos animais domésticos etc”.

Você sabia?

O vegetarianismo pode ser classificado da seguinte forma:

  • Ovolactovegetarianismo: utiliza ovos, leite e laticínios na sua alimentação.
  • Lactovegetarianismo: utiliza leite e laticínios na sua alimentação.
  • Ovovegetarianismo: utiliza ovos na sua alimentação.
  • Vegetarianismo estrito: não utiliza nenhum produto de origem animal na sua alimentação, chamado vegano.

 Fonte: www.svb.org.br


 

Ariane Braga
Apaixonada por animais, mercado econômico e educação. Tem 29 anos, graduou-se em jornalismo e cursou MBA em marketing na Unopar. Tem experiência de mais 8 anos na área de comunicação e marketing, com a elaboração de projetos, assessoria de imprensa, redação e edição de jornais e revistas, planejamento e monitoramento de mídias sociais, comunicação interna e fotografia.