Home > Colunas > Ano novo, vida nova

Ano novo, vida nova

Primeira coluna do ano, desejo à todos muitas felicidades, saúde, paz, realizações, vitórias, conquistas, harmonia e gentileza. O futebol é sem sombra de dúvidas a paixão nacional, os jogadores entraram em férias dia 3 de dezembro e voltaram na semana passada aos treinos após 30 dias de descanso.

O mercado da bola foi movimentado no Brasil e exterior, com negociações entre os clubes, com vendas e trocas de jogadores por todos os times aqui em nosso país verde e amarelo e em outros países, como a compra do jogador Philippe Coutinho pelo Barcelona, por R$ 622 milhões, que estava no Liverpool, na Inglaterra.

Não podemos comparar a economia do Brasil e as equipes esportivas brasileiras com a dos Estados Unidos, Europa e Ásia. Um exemplo: Em nosso Estado, a movimentação mais comentada foi a troca do Fred que estava no Atlético pelo Cruzeiro, com uma multa de R$ 10 milhões se o jogador saísse do Galo e fosse jogar na raposa, e foi o que aconteceu.

O Atlético, Cruzeiro e América dispensaram vários jogadores e, em contrapartida, contrataram diversos jogadores, a vantagem dos times da capital foi a manutenção dos técnicos Éderson (América), Mano (Cruzeiro) e Oswaldo (Atlético). No interior, a movimentação das outras nove equipes que vão disputar o Campeonato Mineiro, que começa dia 17 de janeiro, foi intensa, como acontece todos os anos são contratações de jogadores e técnicos de várias partes do Brasil e alguns chegando até do exterior para participar do mineiro. Todas 12 equipes cobiçadas em conquistar o belo Troféu de Campeão Mineiro.

As equipes do interior, em sua grande maioria, fazem elencos apenas para o Campeonato Mineiro, para as 11 rodadas da primeira fase e se conseguirem a classificação para as próximas fases. Os que saem da disputa do título dispensam os elencos, desfazendo de toda estrutura montada durante os meses de disputa.

Infelizmente, Minas Gerais necessita ter mais força, a nossa sugestão a Federação Mineira de Futebol é retornar com a Taça Minas Gerais, dando mais tempo as equipes em competições. Sabemos que são necessários recursos para o retorno da Taça Minas Gerais, mas temos em nosso Estado, grandes empresas de engenharia, agronegócio, informática e até estabelecimentos bancários que podem estampar sua publicidade na competição, como faz o Sicoob, como patrocinador master no Campeonato Mineiro.

Temos que fortalecer as Minas e belas Gerais, são 853 municípios, necessitamos deixar forte o Estado, de Norte ao Sul, do Leste ao Oeste com equipes fortes e competitivas para destaque no cenário esportivo e na formação de jovens talentos para o esporte, seja nos estádios, ginásios, pistas de corridas, piscinas, quadras poliesportivas. Somos 22 milhões de mineiros e somos fortes, afinal Uai é Uai. Feliz 2018!

*Jornalista sergio51moreira@bol.com.br