Home > Colunas > Festa do futebol amador na Copa Itatiaia

Festa do futebol amador na Copa Itatiaia

O mês de dezembro é marcado pelo término das atividades esportivas, principalmente do futebol profissional. Começam as especulações sobre quais jogadores permanecem nas equipes para a próxima temporada e quais aqueles serão negociados. Nesta época, mesmo com a ausência dos grandes jogos do Campeonato Brasileiro, uma boa dica para os amantes do futebol é acompanhar a grande festa do futebol amador em nossa capital.

Estamos falando da Copa Itatiaia, a maior competição de futebol amador do Brasil. Criada em 1961 pelo patrono da emissora, o saudoso jornalista e radialista Januário Laurindo Carneiro, o torneio chega à sua edição de número 57, contando com 32 equipes participantes, sendo 16 delas da capital e as outras 16 da região metropolitana de Belo Horizonte.

Importante destacar que a história do futebol amador caminha junto com a história da própria capital mineira. Muito antes do surgimento do estádio Independência e do Mineirão, a bola já rolava em campos improvisados nos bairros de nossa cidade. Nos fins de semana, o campo de futebol se tornou o espaço de lazer, diversão e confraternização. E o que era diversão se tornou profissão para muita gente boa de bola que ocupou lugar de destaque nos grandes clubes do Brasil e do mundo.

Ciente da importância do futebol amador, principalmente para as comunidades da periferia, a Copa Itatiaia já se tornou uma tradição para os belo-horizontinos, que fazem do torneio uma grande festa. Para isso, a Rádio Itatiaia, comandada pelo ilustre jornalista Emanuel Carneiro coloca à disposição dos torcedores, jogadores e ouvintes todo seu primeiro time do rádio, sob a batuta da competente diretora de Esportes, Ursula Nogueira, com cobertura diária de tudo o que acontece antes, durante e depois das partidas.

Além de proporcionar aos atletas de finais de semana momentos de felicidade e reconhecimento na mídia, a Copa Itatiaia já revelou diversos profissionais, entre os quais alguns craques de bola, como Paulo Isidoro, Toninho Cerezo e Bruno Henrique (destaque do Santos Futebol Clube na temporada 2017), além de grandes árbitros como Márcio Rezende de Freitas, árbitro mineiro com mais de mil jogos oficiais na carreira e mundialista na Copa de 98, disputada na França e Ricardo Marques Ribeiro, atualmente, o árbitro em atividade com mais anos figurando no seleto quadro de juízes da Fifa que representam a arbitragem brasileira.

Belo Horizonte tem, hoje, cerca de 200 campos de futebol amador. Essas praças de esporte, mais do que parte da história e da cultura esportiva de nossa cidade, são instrumentos indispensáveis no processo de inclusão social, sobretudo nas regiões mais carentes. O futebol, sem sombra de dúvidas, é um dos principais caminhos para a formação saudável das crianças e dos jovens na construção da cidadania.

Por isso, para aqueles que gostam do futebol, seja profissional ou amador, fica o convite para desfrutarmos deste evento esportivo que começa no dia 10 dezembro e vai até 14 de janeiro de 2018, com a grande finalíssima da competição realizada no estádio Independência. Vale a pena conferir!