Home > Geral > 26ª Feijoada do Maranhão acontece no dia 2 de setembro

26ª Feijoada do Maranhão acontece no dia 2 de setembro

Valdez Maranhão realiza o evento há 26 anos - Crédito: Divulgação

Marcada pela diversão, música e muita comida boa, a tradicional Feijoada do Maranhão já têm data e hora para acontecer: dia 2 de setembro às 13h, no Minas Tênis Clube II. O evento vai contar com atrações musicais como a dupla sertaneja mineira Alan e Alex e a cantora Luciana Fossi. Para animar ainda mais o momento, a bateria da escola de samba Acadêmicos de Venda Nova, campeã do Carnaval de Belo Horizonte deste ano, apresenta seu colorido e ritmo para levantar a galera.

O fotógrafo Valdez Maranhão, responsável pela festa, expressa grande expectativa para o momento. “Estão vindo pessoas de fora do Estado, como Rio de Janeiro e São Luís. A festa vai ser como sempre é: divertida, tranquila e com muita fartura. A comida e a bebida são à vontade”.

Ele conta que sempre tentou fazer o evento dessa forma. “Quando tive a ideia, as coisas eram mais fáceis, conseguíamos grandes parcerias. O tempo foi passando e isso foi ficando mais difícil, mas ainda assim continuei a tradição. A feijoada já passou por vários lugares importantes da cidade: Othon Palace, Ouro Minas, Porcão, Chalezinho, Três Lobos. Ano passado, quando completamos 25 anos, fizemos uma edição em Portugal, além disso, o evento também já foi feito em São Luís do Maranhão”.

Completando 26 anos, a feijoada já uniu inúmeras pessoas e, consequentemente, muita história para contar. Maranhão recorda uma delas dando risadas. “Em uma das edições, um amigo bebeu além da conta e acabou dormindo no elevador. Ninguém o viu lá, então, ele ficou subindo e descendo os andares até alguém notar e tirá-lo dali”.

Toda animação da festa contagiou a cabeleireira Luiza Rodrigues. Ela marcou presença no evento do ano passado, e conta um pouco de sua experiência. “Tem atração para quem gosta de dançar, comer, cantar e beber. A comida é maravilhosa e farta. O evento é organizado e muito bem frequentado. Até pessoas para retocar a maquiagem tinham. Eles pensam em tudo e o momento é impecável”.

História

Desde que chegou à capital mineira, Valdez Maranhão nunca deixou de exercer sua profissão de fotógrafo. E foi uma história relacionada à fotografia que deu início a toda a tradição da feijoada. “Roubaram a máquina fotográfica que era meu instrumento de trabalho. Na época, elas eram caríssimas e eu não tinha como arcar com uma nova. Então, meus amigos me deram a ideia de fazer o evento para arrecadar o dinheiro e comprar outra. A primeira feijoada foi um sucesso”.

O retorno foi tão positivo que ele conseguiu dinheiro suficiente para uma nova máquina. “Eu comprei o equipamento e esqueci da feijoada. No ano seguinte uma amiga, dona de restaurante, brincou comigo: ‘Maranhão, joga fora sua câmera e faz outro evento. Daí, eu comecei a me dedicar e construí toda essa história”.

Natália Macedo
Belo-horizontina, 22 anos. Graduanda em jornalismo pelo Centro Universitário Estácio de Sá, fez cursos de Consultoria de Imagem e Design de Moda. Há 3 anos criou um blog voltado para o público feminino. Interessada em assuntos relacionados à minoria, gosta de dar visibilidade as pequenas causas voltadas a inclusão e empoderamento destes nichos.