Home > Destaques > Saiba quais são as doenças típicas do inverno e como se proteger

Saiba quais são as doenças típicas do inverno e como se proteger

Em casos de gripe ou resfriado, médico recomenda estar sempre com as mão higienizadas e manter uma boa hidratação - Crédito: Divulgação

A estação mudou e o clima tende a ficar mais seco e com baixas temperaturas. É justamente nesse tempo frio em que as pessoas acabam se aglomerando em ambientes mais fechados, com portas e janelas trancadas e pouca ventilação. No entanto, locais assim favorecem a proliferação de vírus e bactérias. Nessa época do ano aparecem as doenças típicas do inverno como gripe, resfriado, crises de asma, e as popularmente conhecidas como “ites”: rinite, sinusite e otite. As crianças e idosos são os que mais sofrem, mas existem alguns cuidados para prevenir e minimizar os efeitos dessas patologias.

De acordo com o médico Jairo de Barros, do Instituto Brasiliense de Otorrinolaringologia, essas doenças são mais propensas durante o inverno, pois o vírus é transmitido com mais facilidade. “Em lugares fechados, uma pessoa com uma gripe ou resfriado que tossir ou espirrar, acaba espalhando para as pessoas que estão em volta gotículas cheias de vírus. O recomendado é colocar um lenço na boca e nariz ou cobrir a boca com o dorso do braço. Isso ajuda a evitar a propagação”. Ele afirma que, por causa dessas patologias da estação mais fria do ano, aumenta a incidência de internações e consultas nos prontos socorros em torno de 25 a 30%.

Jairo explica que o resfriado é causado, principalmente, por dois vírus que são o rinovírus e adenovírus e têm sintomas como febre baixa, nariz entupido, coriza e dor no corpo leve. Geralmente tem duração de cerca de 7 dias, sendo que os sinais de tosse e obstrução nasal podem persistir por até 14 dias. Já na gripe são quase os mesmos sintomas, porém mais grave. “É uma doença séria e pode até matar. Ela é causada pelo vírus da influenza e, ao contrário do resfriado, tem prevenção. Então é muito importante a vacinação, principalmente, em crianças e idosos”.

Ele recomenda aos pais que, quando a criança tiver febre baixa e o nariz começa a escorrer, espere uns 3 dias. Se depois desse tempo não houver melhora, deve se procurar um pediatra ou um otorrino. “Nunca é bom ir até o pronto socorro no primeiro sintoma, porque muitas vezes é um resfriado simples e que vai melhorar sozinho. Quando se vai em um pronto socorro lotado, a criança que estava com uma coisa leve, pode até voltar com algo mais grave”. Nos dois casos, o médico aconselha estar sempre com as mãos higienizadas e manter uma boa hidratação, seja com água, suco natural ou frutas que tenham muito líquido como melancia, melão e maçã.

Depois de uma gripe ou resfriado pode surgir uma otite. Jairo esclarece que o principal sintoma é a dor de ouvido. “Isso acontece porque a mucosa que reveste o ouvido por dentro é a mesma que reveste o nariz. Então, se o nariz está obstruído, provavelmente a tuba auditiva está com seu funcionamento prejudicado, fazendo com que se acumule secreção”.

Também nessa estação do ano, aumentam os casos de rinite e sinusite. “O inverno é uma época mais seca e as partículas de poeira, mofo e ácaros, ficam mais tempo expostas no ar. A rinite é uma inflamação na mucosa do nariz, caracterizada por congestão e obstrução nasal. A sinusite é quando acumula secreção nos seios da face e pode ocorrer um inchaço. Muitas vezes é necessário usar um antibiótico. Nos dois casos é preciso procurar um médico e é sempre bom lavar o nariz com soro”.

O médico salienta que nos meses de inverno também agravam as crises de asma. “Os sintomas dessa doença são falta de ar, tosse e chiado no peito. Muitas vezes, a gripe e rinite podem desencadear crises de asma. É importante, principalmente, os asmáticos procurar ajuda médica logo no início do sintoma para não agravar”.