Home > Colunas > Viva o clássico

Viva o clássico

Há uma frase antiga: no futebol ganha o jogo quem erra menos. Nada mais verdadeiro e atual. No último clássico, os erros do Atlético determinaram a vitória do Cruzeiro.

Logo no primeiro minuto, Marcos Rocha perde uma bola na lateral e no contra-ataque Arrascaeta dá um passe na metade para Thiago Neves, e o segundo erro aparece numa falha de Giovanni. Um pouco mais à frente, o Atlético perde o seu mais importante jogador num lance infantil do Fred. Já estava difícil. Com um a menos, o desafio ficou ainda maior.

A entrada do Luan melhorou o setor onde Cazares estava perdido. Veio o segundo gol, um lance contestado, e tudo parecia perdido até que Robinho, apagado o tempo todo, saiu para a entrada de Rafael Moura. Houve o gol do Elias e quase o empate nos minutos finais, em que o Cruzeiro foi pressionado.

O Atlético mostrou falhas de marcação e o time não faz bonito no meio-campo, onde sempre perde o duelo para os adversários, fracos ou fortes. O Cruzeiro veio mais decidido, bem armado taticamente e com uma zaga afinadíssima. Arrascaeta, Rafael Sobis, Thiago Neves e o lateral-esquerdo Diogo Barbosa estiveram muitos pontos acima dos adversários.

Horário e dia
O primeiro Cruzeiro x Atlético do ano foi às 19h30, numa quarta-feira de Cinzas. O segundo sábado à tarde, com o comércio funcionando e o Mineirão vazio no domingo. Esse jogo tem cara de domingueira, e os clubes precisam lutar por isso. Outros jogos virão em 2017 e a casa do superclássico é o Mineirão, com duas torcidas, se possível.

Os que vão ao estádio para praticar a violência não podem ganhar a guerra contra os normais, apaixonados pelo futebol.

Viva o clássico.