Home > Esportes > Copa de Futebol Americano começa sem principal time

Copa de Futebol Americano começa sem principal time

FEMFA convocou entrevista coletiva para explicar detalhes da Copa Minas

Quem pensa que futebol no Brasil joga-se apenas com os pés está muito enganado. A nova febre dos amantes de esportes é o futebol americano, modalidade conhecida pela sua bola oval e de grande popularidade na terra do Tio Sam. Segundo dados divulgados pela ESPN, emissora responsável por transmitir os jogos da liga nacional norte-americana (NFL), entre 2013 e 2016, a audiência cresceu 800% durante os jogos.

Com o progresso e maior divulgação do esporte, vários campeonatos e times nacionais ganham visibilidade. Para se ter uma ideia, a final do Campeonato Mineiro de Futebol Americano do ano passado, disputada entre o Minas Locomotiva e o BH Eagles – atual Sada Cruzeiro -, levou 8.720 pessoas ao Mineirão. No mesmo dia da partida, o América-MG levou apenas 796 pessoas ao Independência para ver a sua vitória sobre o Coritiba, fato que gerou várias comparações entre as modalidades.

Para este ano, espera-se um público ainda maior para as partidas da Copa Minas, campeonato que estreia neste domingo, às 10h, no Horto, com o jogo de entre o Sada Cruzeiro e o Juiz de Fora Imperadores.

De acordo com Laércio Azalim, diretor da Federação Mineira de Futebol Americano (FEMFA) e presidente do Juiz de Fora Imperadores, a Copa Minas surgiu após o cancelamento do Campeonato Mineiro, com a intenção ser uma competição menor. No entanto, ele conta que algumas equipes não quiseram participar por estarem envolvidas na preparação para a competição nacional.

O torneio vai contar com a presença de seis equipes, sendo elas o Araxá Red Wolves, Betim Bulldogs, Sada Cruzeiro, Juiz de Fora Imperadores, Paraíso Miners e Uberaba Zebus. Os times serão divididos em duas conferências: Centro, com as equipes de Belo Horizonte, da Região Metropolitana e a de Juiz de Fora; e Triângulo Mineiro.

O presidente da FEMFA, Abraão Coelho, está animado para o começo do campeonato. “Conseguimos trazer os times e manter o calendário no primeiro semestre, o que é fundamental para o bom desempenho depois de julho”.

Wesley Oliveira, diretor do Sada Cruzeiro, diz que eles estão trabalhando para melhorar e divulgar o Futebol Americano no Brasil. “Esperamos, no Independência, mais de 15 mil torcedores”. O otimismo de Oliveira deve-se, além do crescimento do esporte, a parceria, anunciada no começo deste mês, entre o BH Eagles e o Cruzeiro. O diretor conta que o “namoro” entre as entidades acontecem há mais de um ano. “Nós já tínhamos ido ao Centro de Treinamento várias vezes. Agradecemos muito ao clube e ao Sada por apostarem no potencial do Futebol Americano”.

Azalim também está com grandes expectativas para a competição. “Estamos entrando para ganhar. Esse vai ser o maior campeonato que já participamos e, por isso, estamos montando uma boa equipe desde o ano passado”.

 Polêmica

Antes da Copa Minas, as equipes do Estado de Futebol Americano estavam disputando o Campeonato Mineiro. Durante a competição, o BH Eagles anunciou a parceria com o Sada Cruzeiro e, logo após, o Minas Locomotiva, time de maior tradição em Minas, deixou a competição.

Para justificar a decisão, o clube publicou, em seu Facebook, uma nota de esclarecimento, na qual afirma que “(…) a fim de preservar o torneio, a despeito da perda de um dos participantes, fizemos todas as concessões possíveis, porém, quando solicitamos uma atitude recíproca dos envolvidos, inclusive através da manutenção da proposta de novo sorteio da tabela, não fomos atendidos”.

Ao término da nota, o time destaca que “mantém boa relação com todas as diretorias contatadas, mas, esportivamente, os objetivos são claramente diferentes”.

Segundo dirigentes da FEMFA, todas as equipes, inclusive o Locomotiva, foram convidados à participar da Copa Minas, porém apenas as seis aceitaram. De acordo com Abraão, a federação gostaria que todos os times estivessem na competição. “Mas temos que entender que cada instituição tem um processo de preparação e planejamento diferente”.

Azalim lamenta a ausência da equipe de Belo Horizonte. “É uma pena. Além da tradição, com eles íamos conseguir vender melhor a competição e atrair ainda mais o público”.

Para Oliveira, o campeonato sentirá a falta do Minas, além do Pouso Alegre Gladiadores e do Uberlândia Lobos. “As diretorias entenderam que era melhor não participar, o que nos pegou de surpresa. Queríamos enfrentar a todos”.

Procurado pela reportagem do Edição do Brasil, o presidente do Locomotiva, Thiago Paranhos, afirmou que a equipe decidiu não participar da Copa Minas porque enxergava os mesmos problemas que os fizeram sair do Campeonato Mineiro. “O convite chegou quando já estávamos nos preparando para a competição nacional, então decidimos continuar com os treinos”.