Home > Saúde e vida > Novembro Azul: estimativa é de 61.200 novos casos de câncer de próstata até o final do ano

Novembro Azul: estimativa é de 61.200 novos casos de câncer de próstata até o final do ano

Diagnóstico precoce pode ajudar no sucesso do tratamento

João nunca se preocupou em cuidar da sua saúde, agora o câncer de próstata já está no estado avançado e resta pouco tempo para ele. Segundo o Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), esse tipo de câncer é considerado o segundo mais comum na população masculina em todo o mundo, estima-se que 61.200 novos casos serão contabilizados no país até o final do ano. Para tentar reverter esse cenário, assim como o Outubro Rosa, o Novembro Azul é uma campanha de conscientização sobre o autocuidado com a saúde do homem e prevenção de doenças.

O médico e diretor da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), Volney Soares Lima, explica que um dos principais fatores do alto número de vítimas do câncer é o aumento da expectativa de vida da população. Segundo ele, quando se vive mais, a exposição as doenças também cresce. “A idade é o principal fator de risco para o câncer de próstata. Essa falta de cuidado faz com que ele seja detectado em uma fase mais avançada, por isso é preciso procurar o urologista na idade correta, pois se ele for detectado precocemente as chances de sucesso no tratamento são maiores”, afirma.

Superação

Um fator importante sobre a doença é o histórico familiar, os casos somam 25%, e o risco aumenta ainda mais se o diagnóstico do pai ou irmão ocorreu antes dos 40 anos. Atualmente é recomendável que os homens iniciem a realização dos exames de prevenção a partir dos 50 anos. Foi o que fez Nagib da Silva, de 68 anos. Ele descobriu a doença em 2012 durante uma visita ao médico para a realização da consulta preventiva. “Sempre fiz os exames anualmente, mas atrasei 6 meses e quando soube da doença iniciei o tratamento rápido, pois no intervalo de 2 meses após o diagnóstico o tumor havia aumentado muito”, frisa.

Segundo ele, o pós-operatório foi um pouco complicado por causa do tamanho do tumor. “Uma grande quantidade de tecido foi retirado durante a operação e devido as sessões de radioterapia passei muito mal. Logo depois, continuei com as injeções de hormonioterapia como parte do tratamento. Desde então, faço o controle clínico e exames específicos”, explica.

Dados do Inca apontam que cerca de 30% dos pacientes com câncer de próstata possuem doenças cardiovasculares. Em 2014, Nagib precisou se submeter a cirurgia cardíaca para colocar um ponto de safena. De acordo com ele, após a cirurgia houve uma mudança na rotina, desde a alimentação até a prática de exercícios físicos.

Para ele, o sucesso no tratamento se deve ao amparo de sua família nesse processo. “Durante todo o período do tratamento foi muito importante o apoio da minha mulher e filha. É fundamental falar sobre esse assunto para que todos fiquem mais atentos e se cuidem mais”, destaca Nagib.

Conscientização

Desde 2012 o Sesc Minas aderiu as campanhas de conscientização que tem como foco a importância do autocuidado e da prevenção de doenças com o público masculino. De acordo com a gerência de saúde da entidade, Viviane de Melo, as ações são sempre positivas. Em 2015, cerca de 36 mil pessoas foram atendidas e orientadas durante as ações.

Viviane ressalta que o diagnóstico tardio é o principal problema que os homens enfrentam. “Ainda é um tabu para o homem falar sobre doenças, principalmente, câncer de próstata”.

Não existe um autoexame para os homens, mas têm sinais que servem de alerta como dificuldade ao urinar, ardência ou dor. “Não quer dizer que pode ser um sintoma da doença, mas são indícios que devem ter uma atenção especial e, que se necessário, procurar auxílio médico para o diagnóstico precoce”, explica.

Para este ano estão previstas ações gratuitas durante todo o mês, para participar acesse o site www.sescmg.com.br e veja a programação.

Ariane Braga
Apaixonada por animais, mercado econômico e educação. Tem 29 anos, graduou-se em jornalismo e cursou MBA em marketing na Unopar. Tem experiência de mais 8 anos na área de comunicação e marketing, com a elaboração de projetos, assessoria de imprensa, redação e edição de jornais e revistas, planejamento e monitoramento de mídias sociais, comunicação interna e fotografia.